No ano passado, manifestantes afirmaram que 17 mil pessoas participaram de protesto em Jaraguá do Sul - Foto: Eduardo Montecino/Arquivo OCP
No ano passado, manifestantes afirmaram que 17 mil pessoas participaram de protesto em Jaraguá do Sul - Foto: Eduardo Montecino/Arquivo OCP
Os organizadores da manifestação programada para este domingo (13) em Jaraguá do Sul, que pede fim da corrupção, impeachment ou renúncia da presidente Dilma Rousseff, esperam reunir dez mil pessoas a partir das 15h na Praça Ângelo Piazera. Aproximadamente mil adesivos foram confeccionados para o evento, denominado Vem Pra Rua.
Ontem, as entidades ligadas ao Centro Empresarial de Jaraguá do Sul (Cejas) reforçaram apoio ao ato e convocaram os associados a participarem do protesto. A convocação vem sendo feita também pelas redes sociais e demais meios eletrônicos.
O trajeto começará pelos fundos da Praça Ângelo Piazera, seguindo pela Avenida Marechal Deodoro da Fonseca, ruas Cabo Harry Hadlich, Reinoldo Rau e Procópio Gomes de Oliveira, com retorno pelo Calçadão até o ponto de partida, onde haverá a dispersão. A Polícia Militar estará no local para garantir a segurança dos manifestantes e evitar tumultos.
O movimento nacional Vem Pra Rua exibia ontem a lista dos Estados e municípios que confirmaram oficialmente a adesão ao chamamento. São Paulo e Minas Gerais estão entre os que confirmaram mais municípios participantes.
Em Santa Catarina, 33 municípios aderiram à mobilização. Na macrorregião Norte, estão Jaraguá do Sul e Joinville. Paraná registrou 31 cidades e Rio Grande do Sul, 24 cidades. Acre, Alagoas e Amapá confirmaram apenas as capitais. Pessoas em outros onze países também aderiram.
O representante comercial Amarildo Batista, um dos organizadores da manifestação em Jaraguá do Sul, que também faz parte do Movimento Brasil Melhor, enfatiza que a ação de domingo é apartidária. “Temos pessoas de todos os partidos e ninguém aqui está para se autopromover. Precisamos fortalecer as instituições que estão atuando pelo lado correto, como a Polícia Federal, o STF (Supremo Tribunal Federal) e o Ministério Público”, afirma.
O advogado Luís Fernando Almeida, filiado ao PP, é um dos que apoia a manifestação. “Vou participar, como já participei de outras manifestações, porque discordo do que está acontecendo em nível nacional. A bandeira que levantamos é contra a corrupção, o descaso, os escândalos. Há muitas irregularidades”, afirma.