Garantia de recursos para a finalização da duplicação da BR-470, agilidade nas obras de acesso aos municípios e recuperação dos trechos não duplicados. Estes foram os pleitos dos prefeitos da Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (AMMVI) ao diretor-geral do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), general Antônio Leite dos Santos Filho.

Em reunião virtual realizada nesta sexta-feira (11), prefeitos, vereadores e entidades empresariais manifestaram preocupação para que a obra não pare por falta de recursos. O diretor-geral do DNIT reforçou que a previsão de conclusão é 2022 e que todos os esforços estão sendo feitos para o andamento da obra, orçada em R$ 1,3 bilhão, dos quais R$ 700 milhões já foram investidos. “A duplicação da BR-470 também é nossa prioridade”, disse Santos Filho.

Atualmente, o órgão federal e o Governo de Santa Catarina estão trabalhando na formação do convênio entre as partes para o repasse de R$ 200 milhões do orçamento estadual. Deste montante, a previsão é que R$ 100 milhões sejam investidos nos trechos 1 e 2 e R$ 50 milhões em cada um dos trechos 3 e 4.

O prefeito de Gaspar, Kleber Wan-Dall (MDB), que preside a AMMVI, reforçou o pedido para que a obra não pare e o governo federal faça as complementações orçamentárias necessárias para garantir a entrega no prazo.

 

“Já esperamos tantos anos, perdemos tantas vidas e somos prejudicados diariamente por este gargalo que afeta o crescimento econômico. A duplicação da BR-470 é essencial para a segurança da nossa população e o fomento à economia da região e do estado”, ressaltou Wan-Dall.

 

O prefeito de Ascurra, Arão Josino (PSD), reivindicou a recuperação do trecho entre Indaial e Ibirama, pois a falta de manutenção tem provocado acidentes e comprometido a segurança dos motoristas. Ele solicitou também maior atenção às cabeceiras das pontes que precisam de reparo. O DNIT garantiu que a recuperação será feita neste ano.

Sobre a duplicação

A obra contempla a duplicação de 73,5 quilômetros, entre Navegantes e Indaial, dos quais cerca de 50% já foram duplicados. Conforme o diretor-geral do DNIT, nos próximos dias vai iniciar a obra no trevo de acesso a Pomerode e o foco está no trecho 3.

Situação

  • Lote 1 (Navegantes - Ilhota): 18,6 quilômetros, dos quais 62% estão duplicados;
  • Lote 2 (Ilhota - Gaspar): 26,3 quilômetros, dos quais 80% estão duplicados;
  • Lote 3 (Gaspar - Blumenau): 12,9 quilômetros, dos quais 33% estão duplicados;
  • Lote 4 (Blumenau - Indaial): 15,4 quilômetros, dos quais 32% estão duplicados.

*Com informações da AMMVI

Receba as notícias de Blumenau e região pelo WhatsApp clicando aqui.