O Museu Histórico Emílio da Silva, de Jaraguá do Sul, ficará fechado até o mês de outubro para que as obras de restauração do espaço continuem na parte interna. O local, que fica no Centro de Jaraguá do Sul, está em reforma desde maio e não está recebendo visitantes desde o início deste mês, devendo permanecer fechado por mais dois meses e meio.

Segundo a secretária municipal de Cultura, Esporte e Lazer Natália Lúcia Petry, até o momento, já foi realizada a recuperação do telhado, das marquises, do forro e de todo o madeiramento da parte interna que estava danificado. “Agora vai começar a pintura da parte interna e externa do museu”, explica Natália.

A secretária conta que quando as obras estavam se concentrando na parte externa, e portanto, não havia necessidade de fechar o museu, mas agora não pode haver circulação de visitantes no local. Além disso, o acervo do museu está protegido.

As obras de reforma recebem investimento de R$ 429 mil, dos quais, R$ 349 mil vem do Fundo Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural, Arqueológico, Artístico e Natural e R$ 80 mil são da Prefeitura.

 

Foto Eduardo Montecino/OCP News

A secretária ressalta que o prédio do Museu Histórico Emílio da Silva é tombado como patrimônio municipal e necessitava de reforma há muitos anos. Com rachaduras e goteiras, a cobertura também precisava de reparos.

“Desde que iniciou suas atividades [em 2001], o local nunca passou por uma obra de restauro como essa”, enfatiza.

Casa do Colonizador

Natália afirma que o museu deve ficar fechado até a segunda quinzena de outubro. Nesses dois meses e meio, a equipe do local atenderá na Casa do Colonizador, na Avenida Prefeito Waldemar Grubba, no bairro Vila Lalau.

"Os projetos educativos também estão sendo feitos no Museu da Paz, anexo a estação ferroviária", complementa.

A Casa do Colonizador tem em seu acervo utensílios utilizados pelos colonizadores de Jaraguá do Sul, como montagens externas dos engenhos e apresentação de alguns meios de transporte da época. No espaço há ferramentas agrícolas, de madeireiras e transportes de tração animal.

Natália comenta que visitas de escolas poderão ser agendadas por meio do telefone (47) 2106-8700.

"A casa tem coleções etnográficas em menor proporção do que o museu histórico, mas dá boa ideia do acervo encontrado no prédio em reforma", completa a secretária.

 

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger