Desde o início de 2019, o Parque Via Verde, que fica no bairro Ilha da Figueira, em Jaraguá do Sul, está ganhando forma e nesta semana foi adicionado um toque especial para embelezar o local. A equipe de jardinagem da Secretaria de Obras plantou 30 mudas de ipê amarelo na calçada, fornecidas pelo Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto (Samae).

Além disso, o presidente da Fundação Jaraguaense do Meio Ambiente (Fujama) Normando Zitta, relata que nas próximas semanas mais 50 pequenas árvores serão plantadas à beira do rio Itapocu.

Zitta diz que essa remeça de mudas já têm mais de dois anos e não demorarão para crescer e produzirem sombra. "Até julho, mais 100 mudas serão plantadas na calçada do outro lado do parque, totalizando 180 árvores. Essas últimas serão um pouco menores", destaca.

O presidente fez um pedido para a população não jogar lixo no entorno do Parque Via Verde, pois ainda não foram instaladas as lixeiras e o local não tem estrutura para suportar resíduos. "De vez em quando eu recolho garrafas na beira do rio", destaca.

 

Andamento das obras

A primeira parte da Via Verde, com extensão de 740 metros, foi concluída na metade de 2017, recebendo cerca de R$ 3,7 milhões de investimento. A via inicia nas imediações da ponte do Centenário, na Rua Belido Zanin, e segue até a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Samae.

O trecho atualmente em construção faz parte da segunda parte das obras, que vai do fim do primeiro ponto até a ponte da Rua Rinaldo Bogo. A última parte deveria ter sua licitação finalizada na segunda-feira (3), mas devido a problemas nos dados de uma empresa, o resultado só será conhecido na próxima semana.

Com investimento estimado em R$ 5,8 milhões, nessa etapa serão realizados os serviços de terraplanagem, drenagem pluvial, sinalização, pavimentação e serviços complementares no restante da Via Verde e nos 500 metros de ciclovia.

Sell que os próximos passos será a colocação de iluminação no local | Foto Eduardo Montecino/OCP News

Essa fase vai de onde foi finalizado o trecho anterior até a Ponte Antônio Ribeiro, conhecida como Ponte do Trabalhador, com uma extensão de aproximadamente 1,2 quilômetro.

Segundo Sell, também será feito a abertura de uma nova via, atualmente denominada de Rua 500, que vai ligar a Via Verde e a Rua José Theodoro Ribeiro, no fundo do Posto de Saúde Maria Rozisse da Rossa Ribeiro.

Zitta diz que a primeira parte das obras do Parque Via Verde já estão 80% concluídas, faltando apenas a pavimentação, o restante da arborização e a iluminação. De acordo com o presidente, a equipe de jardinagem aproveitou os dias chuvosos para colocar a grama na beira do rio.

"As chuvas atrasarão um pouco o nosso planejamento, mas conseguimos adiantar algumas coisas e agora é torcer para São Pedro ajudar", comenta.

 

Desapropriações

De acordo com o secretário municipal da Fazenda Antenor Galvan, as desapropriações da Via Verde estão na fase final. Falta apenas pagar os terrenos que tinham problemas nas escrituras.

"Existem pendências em função dos registros de imóveis das pessoas com cláusulas nas matrículas e precisamos eliminar isso", destaca.

Galvan ressalta que esse processo demora para ser resolvido, mas as pendências não afetam o andamento das obras na Via Verde.

As desapropriações foram divididas em duas partes - a primeira com propriedades que não têm prédios ou residências construídas, mas que abrange 16 terrenos, devendo custar cerca de R$ 1,7 milhão aos cofres do município.

A segunda etapa teve as negociações estendidas por causa de 10 terrenos onde já existem edificações, com valor estimado em R$ 2,8 milhões. Juntando os 26 terrenos, a Prefeitura deve gastar em torno de R$ 4,5 milhões em desapropriações para construir a esta parte da via.

Quer receber as notícias no WhatsApp?