O governo federal estima que a medida provisória (MP) da Liberdade Econômica deverá gerar 3,7 milhões de novos empregos em até dez anos. O texto-base da MP foi aprovado na noite desta terça-feira (13) pela Câmara dos Deputados.

A projeção faz parte de um estudo da Secretaria de Política Econômica do Ministério da Economia e foi reiterado nesta quarta-feira (14), pelo secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital, Paulo Uebel.

Além dos novos empregos, a previsão é que o Produto Interno Bruto (PIB) do país cresça 7%, também no prazo de dez anos.

“Isso é um crescimento muito expressivo. Em 2019, por exemplo, o PIB poderia dobrar, se as mudanças pudessem ser introduzidas no início do ano”, disse o secretário a jornalistas, na saída do Ministério da Economia, depois de reunião com o ministro Paulo Guedes e representantes do setor empresarial.

O impacto previsto pelo governo será consequência do processo de desburocratização de uma série de atividades econômicas.

“A MP facilita a abertura e o fechamento de empresas”, citou Uebel. “Estabelecimentos de baixo risco não dependerão mais de alvará, de licença”, acrescentou, salientando que, atualmente, a espera por alguns documentos pode chegar a seis meses.

Aprovada no plenário da Câmara por 345 votos a favor e 76 contrários, a MP da Liberdade Econômica ainda passa pela votação dos destaques nesta quarta. A expectativa do governo é que não haja alterações do texto-base aprovado.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger