Na segunda-feira (20) o ministro da Economia, Paulo Guedes, afimrou que a recuperação econômica, após a crise do novo coronavírus, será em "V", com retomada tão rápida quanto a queda, publicou a Época Negócios.

"Vamos surpreender o mundo", disse o ministro, em entrevista ao vivo para o BTG Pactual, no canal do banco no Youtube. Segundo Guedes, não se pode deixar que a economia entre em uma grande depressão.

Na avaliação do ministro, o Brasil tem tomado medidas melhores ou iguais que a de outros países, inclusive países avançados. "Todo dia tem barulho, mas o Brasil está avançando e progredindo", disse.

De acordo com a Época, na visão de Guedes, as hipóteses do governo para os efeitos econômicos do novo coronavírus, quando ainda se pensava que o choque seria apenas no comércio exterior, se revelaram razoáveis após os primeiros dados da balança comercial.

"As exportações brasileiras não caíram ainda, estão subindo. A queda das exportações para Europa, de 1%, para EUA, de 30%, e para Argentina, de 30%, foi compensada pelo aumento acelerado das exportações para China", disse o ministro, em entrevista ao vivo no canal do BTG Pactual no Youtube.

Ele ainda afirmou que a ficha caiu entre fim de fevereiro e início de março, de que o coronavírus seria uma pandemia que afetaria também o Brasil. "Disparamos medidas imediatamente", disse o ministro, que ressaltou que aumentou o número de beneficiários do Bolsa Família. "Havia fila no Bolsa Família, porque sempre há fraude, mas mandamos incluir todos imediatamente", explicou.

Na opinião de Guedes, o presidente Jair Bolsonaro tem sido mal interpretado. Segundo o ministro, a orientação do presidente é preservar vidas e empregos.

 

Quer mais notícias do Coronavírus COVID-19 no seu celular?

Mais notícias você encontra na área especial sobre o tema:

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul