Nesta quinta-feira (27), o prefeito Adriano Silva e a vice Rejane Gambin receberam a visita do ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, como parte da agenda de compromissos do Governo Federal em Santa Catarina.

“A visita do ministro é uma excelente oportunidade para que possamos destacar a importância de Joinville para o desenvolvimento da região”, ressaltou o prefeito Adriano Silva.

Na maior cidade de Santa Catarina, o ministro conheceu a estrutura da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Jarivatuba, localizada na zona Sul de Joinville, que é uma das maiores deste modelo no País.

“O Ministério de Desenvolvimento Regional aproxima o Governo Federal dos municípios, acompanhando obras e projetos em todo o país. Fiquei encantado com a competência e a ousadia de Joinville em avançar em temas fundamentais para o desenvolvimento da cidade”, destaca o ministro Marinho.

Na ocasião, o prefeito entregou uma série de projetos e pleitos ao ministro, incluindo o apoio para a construção de três pontes (rua Nacar, rua Plácido Olímpio de Oliveira e rua Anêmonas), para o desassoreamento do Rio Águas Vermelhas e para a recuperação das marginais da BR-101.

Além disso, foram solicitadas autorização para utilização da malha ferroviária para o transporte de passageiros e a intensificação dos projetos habitacionais do Governo Federal em Joinville.

ETE Jarivatuba

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Jarivatuba está em fase de pré-operação desde março deste ano. Os principais benefícios trazidos pela tecnologia implantada na unidade são a redução dos odores do tratamento e a melhor qualidade do efluente final.

Conforme a Prefeitura, a ETE Jarivatuba é uma das estações mais modernas da América Latina e atende cerca de 190 mil moradores das regiões Norte, Leste, Central e Sul de Joinville.

A capacidade de tratamento atual é de 400 litros por segundo e será ampliada para 600 litros por segundo quando a unidade entrar em operação em sua totalidade.

O investimento da obra é de R$ 94 milhões, valor que inclui, além da própria estação, os demais equipamentos e tubulações que fazem parte do sistema de esgotamento sanitário.

Desse montante, R$ 48,5 milhões são recursos do Orçamento Geral da União (OGU), do Ministério do Desenvolvimento Regional, e o restante é composto por recursos próprios da Águas de Joinville.

Como funciona

O tratamento de esgoto realizado na ETE Jarivatuba é do tipo lodo ativado por batelada, sistema em que os funcionários da estação têm total controle dos processos e operações.

São quatro tanques, e em cada um deles ocorrem todas as etapas do tratamento, a oxidação biológica e a decantação do esgoto. Neste sistema, a injeção de oxigênio ativa bactérias aeróbias, que se alimentam de matéria orgânica e a decompõem em um processo que não gera odores.

O efluente tratado é encaminhado para outro reator, onde raios ultravioleta realizam a desinfecção final para, então, retornar ao meio ambiente.

Fonte: Prefeitura de Joinville