O governador Eduardo Pinho Moreira e lideranças do agronegócio da região Oeste se encontraram com o ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Blairo Maggi, na noite desta quinta (8), em Chapecó. Maggi está em Santa Catarina para acompanhar nesta sexta-feira (9) o projeto de modernização de procedimentos de fiscalização e controle de abate da BRF e conferir o trabalho da Embrapa Suínos e Aves, em Concórdia. “Santa Catarina é um dos principais estados do agronegócio, principalmente na transformação da proteína vegetal em proteína animal. O Estado tem muita atenção por parte do Governo Federal, pois é daqui que sai boa parte da nossa balança comercial. SC faz a sua parte”, afirmou o ministro, justificando por que é tão importante acompanhar o trabalho feito no Estado. O governador lembrou que muito do sucesso de Santa Catarina deve-se a seu status sanitário como zona livre de peste suína clássica e de febre aftosa sem vacinação. Estas certificações internacionais garantem a excelência sanitária do rebanho catarinense e demonstram o rigor ao qual os produtos catarinenses são submetidos. Eduardo Pinho Moreira ainda reforçou a importância da visita do ministro no Estado, especialmente após a Operação Trapaça, um desdobramento da Operação Carne Fraca. O governador ressalta que, no Estado, apenas uma indústria que produz ração e um laboratório estão sob investigação, sem comprometer os frigoríficos da BRF que atuam com carne de frango. “O ministro tem tido muita agilidade nas questões que são vitais para a economia catarinense. A sua presença aqui neste momento mostra isso. Ele fez contato antecipadamente com as embaixadas dos países importadores, de forma que a operação não tenha interferência no agronegócio catarinense e dos demais estados”, explicou. Maggi não acredita que haja prejuízo por conta da operação. “Ela teve um foco e um momento específico, e estamos dando as respostas para o mercado mundial e países que são nossos compradores. Nós nos antecipamos aos fatos e mandamos as mensagens devidas. Até agora não temos nenhum sinal que a situação ficará ruim”, explicou. O Ministério da Agricultura reforça que não há motivos para preocupação ao consumir carne de frango. Ela não oferece riscos à saúde, desde que conservada e preparada de forma adequada. *Com informações do Governo do Estado