O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o ministro Luís Roberto Barroso, afirmou na noite deste domingo (15) em coletiva de imprensa transmitida pelo Youtube do TSE que a causa do atraso na divulgação dos resultados foi devido a uma falha em um dos processadores do sistema de computação do TSE.

Até o momento (22h20), apenas cerca de 60% dos votos já totalizados, mas o ministro Barroso diz que o resultado da eleição deve sair ainda hoje ou até de madrugada.

Além disso, segundo o presidente do TSE, o tribunal admitiu que houve uma tentativa de ataque cibernético neste domingo (15) ao sistema, mas ele foi “neutralizado”.

"Houve um atraso na totalização dos resultados por força de um problema técnico que foi exatamente o seguinte: um dos núcleos de processadores do supercomputador que processa a totalização falhou e foi preciso repará-lo", comentou Barroso.

O presidente do TSE disse que nas eleições deste ano foi concentrado no sistema do próprio TSE, diferentemente de anos anteriores, quando uma totalização parcial era feita em cada estado pelo sistema dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs), que repassava os dados ao TSE. E a falha que ocorreu foi pela lentidão no processo de totalização dos resultados, que trata-se da soma dos votos computados nas urnas.

"A decisão não foi minha de centralizar a apuração do resultado no sistema do TSE. Quando eu assumi, em maio, já havia sido estabilizado e segui o que foi estabelecido. Por ser uma novidade tive esse receio ainda mais por ser a primeira vez que estaria à frente do TSE", comentou.

Barroso comentou ainda que o atraso na totalização não interfere na regularidade da contagem dos votos e que os dados chegaram para a totalização sem qualquer alteração e que inclusive foram impressos logo depois de apurados em cada urna, colocados expostos nestes locais e ainda distribuídas cópias para os partidos.

"Se não tivesse esse problema de hardware, que foi uma questão de um dos processadores que levou ao sistema dicar lento. Já em estaríamos mais aqui e já tínhamos o resultado da eleição e ido pra casa", comentou na coletiva.

 

Ataque cibernético

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Luís Roberto Barroso também voltou a comentar na coletiva da noite deste domingo (15) das eleições que o sistema do Tribunal sobre um suposto ataque cibernético ao sistema eleitoral.

O ministro disse que “eventuais ataques cibernéticos não tem o condão de afetar o processo de votação porque as urnas não funcionam em rede e, portanto, não há esse risco.”

“O vazamento de informações que se está divulgando, nós ainda estamos apurando para confirmá-lo, mas podemos assegurar que não se refere a ataque no dia de hoje e, muito possivelmente, é algo antigo”, diz Barroso.

A Polícia Federal está investigando o caso, conforme informou o responsável técnico pelo sistema.

 

Telegram Jaraguá do Sul