O presidente da Câmara de Jaraguá do Sul, José Ozório de Ávila (SDD), exonerou ontem dez cargos comissionados no primeiro dia de trabalho após o recesso parlamentar. Quatro deles serão substituídos por profissionais do concurso público de novembro e os outros seis devem ser nomeados pelos vereadores que elegeram a atual Mesa Diretora. “Foi feita uma divisão entre cinco vereadores. Eu só espero vir as portarias com as pessoas nomeadas por eles, como é feito em cada renovação da Mesa”, comentou Ávila, que nomeou Valdeiro Bakun para o cargo de assessor da presidência. Jocimar de Lima (PSDC) afirma ter feito recomendação para a Direção Geral. Para ficar no cargo da Diretoria de Comunicação Social, João Fiamoncini (PT) trará a jornalista Carolina Tomaselli de volta ao cargo. O vereador Jeferson de Oliveira (PSDB) afirma que não fará indicação. Jair Pedri (PSDB) e Arlindo Rincos (PP) não foram encontrados para comentar as indicações. Sobram para a partilha os cargos de diretor jurídico, diretor administrativo e assessor de comissões. Apesar de ter considerado a convocação de cargos do concurso público pela ex-presidente Natália Petry (PMDB) uma “decisão precipitada”, Ávila deverá seguir o direcionamento deixado pela parlamentar. “Enfraquece a quantidade de comissionados, mas eu achei por bem deixar assim porque uma hora ou outra teriam que ser nomeados”, avaliou. Foram empossados até agora três dos seis concursados convocados. Dois deles tomam lugar de cargos políticos extintos: o ouvidor substitui o chefe de ouvidoria, e o assistente de comunicação social fica no lugar do assessor de comunicação social. O terceiro é o auxiliar técnico de informática, uma das novas vagas. Não foram exonerados chefe de serviços gerais, assistente de informática e assessor de cerimonial. Esses cargos esperam ocupação de aprovados no concurso. A diferença entre os salários dos exonerados até agora com os efetivos que irão assumir representa economia de R$ 3,7 mil mensais. Todas as mudanças fazem parte de uma reforma administrativa formalizada no ano passado para atender exigências do Tribunal de Contas de Santa Catarina. No total, a Câmara contará com 30 cargos comissionados. São 11 assessores parlamentares e 11 chefes de gabinete, dois profissionais para cada um dos vereadores. Além de seis cargos que serão divididos pela Mesa, existe mais um assessor de comissões e o diretor de suporte legislativo. pagina 4