Prefeito de Guaramirim, Luís Chiodini (PP) | Foto: Eduardo Montecino

Prefeito de Guaramirim, Luís Chiodini (PP) | Foto: Eduardo Montecino

Nos cinco primeiros dias de entrega dos carnês do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) de Guaramirim, 46% dos contribuintes já haviam feito a retirada do boleto, a maioria optando pelo pagamento à vista, informa o prefeito de Guaramirim, Luís Chiodini (PP).

Para o prefeito, o número de carnês entregues, até a última sexta-feira (11), mostra que a população está aos poucos mudando sua compreensão quanto ao pagamento do imposto.

Chiodini acredita que o munícipe está deixando de ver o tributo como um peso com o qual é obrigado a contribuir e passando a enxergar que, embora tenha que pagar, o recurso ao menos está sendo investido em melhorias no município, retornando ao contribuinte.

“E a gente deve continuar melhorando [o governo] para que fique essa boa impressão de que os recursos do IPTU estão sendo investidos em melhorias para a cidade, o IPTU é uma das principais fontes de arrecadação do município”, afirma Chiodini.

Impressão na hora

Neste ano, os boletos estão sendo distribuídos na estrutura montada na Casa do Papai Noel, localizada na rua Gerônimo Corrêa, e são impressos na hora, de acordo com a forma de pagamento do contribuinte. Por exemplo, se o pagamento for em cota única, um boleto é impresso. Se for parcelado em duas vezes, são dois boletos.

De acordo com o prefeito, Luís Chiodini (PP), a mudança permitiu uma economia de R$ 35 mil a R$ 40 mil em impressão. Os carnês também podem ser retirados online, pelo site da prefeitura.

Para este ano, o lançamento de 15.999 carnês representa um montante de R$ 8,3 milhões de IPTU. No entanto, da arrecadação projetada ainda devem ser descontadas as isenções e os pedidos de revisão, que podem alterar o valor estimado. As isenções de pagamento do IPTU também devem ser requeridas novamente.

Projeção

O lançamento do IPTU neste ano subiu 91% em razão do recadastramento feito no quadro de contribuintes da área central da cidade, mas sem alterações na Planta Genérica de Valores (PGV), observa Chiodini, repassando apenas correção de 1,88%, de inflação.

Com a conclusão do processo de revisão geral do IPTU, previsto para 2019, é que o governo deverá rever a PGV, defasada desde 2002, informa o prefeito. “Mas sem prejudicar o contribuinte, sabemos das dificuldades”, salienta.