Licenciado sem remuneração da Prefeitura de Jaraguá do Sul desde a última quinta-feira (1º), Antídio Lunelli participou neste fim de semana de nova rodada de encontros do MDB de Santa Catarina pelo interior do Estado. Desta vez, a caravana passou desde quinta-feira por Bom Retiro, Lages, Curitibanos, Capinzal, Fraiburgo e Calmon.

Defensor das prévias, agora adiadas sem data definida, o prefeito de Jaraguá do Sul voltou a falar da sua história, de colono, colaborador, empresário e administrador público, e foi enfático ao dizer que ou o MDB tem coragem para renovar e apresentar uma proposta diferente aos eleitores ou está fadado a mais uma derrota nas urnas, como em 2018 quando a sigla não chegou nem ao menos ao segundo turno. Naquele ano, Mauro Mariani foi o candidato do MDB, que poderia ter dado espaço ao então prefeito de Joinville, Udo Döhler.

“A nossa população não aguenta mais trabalhar só para sustentar o peso da máquina. O poder público precisa estar a serviço da população e não se servir dela. Com gestão eficiente e valorização do dinheiro público, podemos zerar a miséria, melhorar sensivelmente os índices de educação, de saúde, segurança, infraestrutura e ser um indutor de novas oportunidades. Não é tão complicado assim, mas é preciso coragem para mudar. É preciso alguém com uma nova visão”, discursou o empresário e político.

Lunelli segue em roteiro pelo Estado nesta semana. Desta segunda-feira (5) até domingo passará pelo Oeste em municípios como Xanxerê e Chapecó, onde conversará com empresários, agricultores e lideranças políticas, entre elas, o prefeito de Chapecó João Rodrigues.