A Justiça Federal de São Paulo determinou a suspensão da divulgação dos resultados do Sistema Integrado de Seleção Unificada (SISU) até que o governo federal demonstre a correção das provas apontadas com problemas por estudantes de todo o país, segundo informa a Agência Brasil.

O tribunal deu prazo de cinco dias para o cumprimento da decisão, sob multa diária de R$ 10 mil. A decisão foi motivada por pedido da Defensoria Pública da União (DPU). Na petição, o órgão cobra que o Ministério da Educação comprove com documentos a realização da revisão dos testes prejudicados no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Além disso, reivindica a explicação sobre os parâmetros utilizados nesse procedimento.

O erro, argumentou a DPU, teria impactado não apenas esses estudantes, mas o desempenho de todos os participantes, uma vez que notas de corte e a classificação são atribuídas a partir das notas de todos os alunos que realizaram a prova. “Tendo em vista que as notas das provas que foram revisadas podem ter sofrido substancial alteração, é certo que há a potencialidade de gerar algum impacto, ainda que de décimos, nos resultados finais de todos os candidatos, o suficiente para significar o acesso à vaga”, pontua a petição.

Na sua decisão, a 8a Vara Cível de São Paulo avaliou que o pleito da defensoria foi legítimo em razão do “princípio da transparência que rege toda a administração pública, aliado ao dever de prestar informações, bem como a isonomia de tratamento de todos os participantes do ENEM”.

A 8a Vara, contudo, não acolheu o pleito de manter o sistema de inscrições aberto. O órgão considerou a demanda uma interferência indevida do Poder Judiciário no processo e que poderia prejudicar mais estudantes.

À Agência Brasil, o Ministério da Educação informou que prestou todos os esclarecimentos e que a Advocacia-Geral da União (AGU) entrará com recurso da decisão da Justiça Federal.

Erros no Sisu

Na sexta-feira (24), surgiram nas redes sociais novas denúncias de problemas, como a inscrição duplicada, a aparição de notas zeradas e a alteração das notas de corte. Alunos expuseram comportamentos que consideraram estranhos do site do SISU. O ministro da Educação, Abraham Weintraub, publicou vídeo sobre o assunto, reiterando que o sistema estaria funcionando regularmente.

https://www.facebook.com/ministeriodaeducacao/videos/184067715984170/?__xts__%5B0%5D=68.ARCNUpeo0yamwD-TPdWsXyNCHtSCKatIPfjU-WdIjsjietLbC-AkdBPTaa1lz5PTCtKuVqkJzzMkyTYQS6hrWIuhBXqHnj6MElKIDwpzwTe66NmL76t9K6-m8bKEIKE8q-RdwO78MG_k0Rr6x6DE0WHn9Hf-5mt9_GkDOVBBk3rR7_4FdgS6Lc2Tp0LzHSrQZmjAxhA7PjRJxEVcqhcA0yk3itqyaY_hhTudJpX7TeltDplNAN-Ne2_G3HL3lq85yv8HIggdLmJUpIFF8WMMftnn3D_36lPsVBEyv15MTi1z6OYUcSy-Pcn6iXaSjglV8diTOTMkjD7CNX2FTzxkxmpOBdhj9SG4yymviw&__tn__=-R

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul

Facebook Messenger