Julgamento de Moro é adiado novamente; senador tem 3 votos contra a cassação

Moro foi acusado pelos partidos de realizar gastos irregulares | Foto: Lula Marques/Agência Brasil

Por: Milena Natali

08/04/2024 - 16:04 - Atualizada em: 08/04/2024 - 16:44

O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Paraná retomou nesta segunda-feira (8) o julgamento que pode levar à cassação do mandato do senador Sergio Moro (União-PR), ex-juiz da Operação Lava Jato. Durante esta tarde, foi realizada a terceira sessão para analisar o caso.

Se for cassado pelo TRE, Moro não deixará o cargo imediatamente porque a defesa poderá recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Se a eventual cassação for confirmada pelo TSE, novas eleições serão convocadas no Paraná para preencher a vaga do senador. Ele também poderá ficar inelegível por oito anos.

Entretanto, o julgamento foi suspenso novamente após o pedido de vista do desembargador Julio Jacob Junior, segundo ele, dará seu voto na terça-feira (9). Após o pedido de vista, o desembargador Guilherme Frederico Hernandes Denz, que seria o sexto a votar, pediu para adiantar o próprio voto e aderiu ao voto do relator, contra a perda do mandato.

Moro é acusado de abuso de poder econômico durante a pré-campanha das últimas eleições presidenciais. Até então, dos sete desembargadores da Corte, apenas quatro votaram. A última atualização do placar foi de um voto a favor da cassação do mandato e três votos contra.

 

Confira os votos:

  • Desembargador Luciano Carrasco Falavinha Souza: contra a cassação
  • Desembargador José Rodrigo Sade: a favor da cassação e pela inelegibilidade
  • Desembargadora Claudia Cristina Cristofani: contra a cassação
  • Desembargador Guilherme Frederico Hernandes Denz: contra a cassação

 

Ainda faltam votar:

  • Desembargador Anderson Ricardo Fogaça – juiz de Direito efetivo;
  • Desembargador Sigurd Roberto Bengtsson – presidente.

 

O julgamento iniciou no dia 1º de abril com o voto contrário do desembargador Luciano Carrasco Falavinha Souza, relator do caso. No dia, o desembargador José Rodrigo Sade se manifestou a favor da cassação. A defesa de Moro ainda poderá recorrer ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral), caso ele seja efetivamente cassado.

Notícias no celular

Whatsapp