A partir de 2020, fevereiro será o mês da cerveja em Jaraguá do Sul. O projeto de lei do Executivo foi aprovado por unanimidade de votos na sessão de quinta-feira (12) pela Câmara de Vereadores. A proposta ainda inclui a realização de um festival municipal da cerveja no calendário oficial de eventos da cidade.

Conforme a administração municipal, o projeto é um desdobramento da criação do Selo da Cerveja de Jaraguá do Sul em 2018, que autoriza às microcervejarias, brewpubs e nanocervejarias artesanais a exercerem suas atividades na cidade seguindo um regulamento específico.

O diretor de Turismo, Marcelo Nasato, explica que em 2020 o festival municipal marcará o lançamento da iniciativa. A realização do evento será de responsabilidade das empresas produtoras ou fabricantes de cervejas e chopes que contam com o selo, seja diretamente ou por meio de entidade local que as represente.

A primeira edição deve acontecer no Parque Municipal de Eventos no início de fevereiro. Excepcionalmente, a estreia do festival será aberta para todas as empresas produtoras ou fabricantes da bebida em Jaraguá. "Vamos aproveitar essa época de férias para promover o evento e atrair mais visitantes. A gastronomia também estará presente para harmonizar com a cerveja", destaca Nasato.

Atualmente, a cidade conta com oito cervejarias, entre marcas com produção própria e as "ciganas", que são aquelas que produzem a bebida em locais parceiros.

Sócio da Königs Bier, Dennis Ivan Torres considera positiva a criação do mês e do festival da cerveja no município, principalmente para a popularização da bebida. "Muitas pessoas ainda desconhecem ou acham que é uma coisa de outro mundo, então é importante explicar e mostrar como funciona o produto artesanal. Esse incentivo constante é fundamental", aponta.

Selo da cerveja

Conforme o projeto, também haverá um concurso para criação da logomarca do "Selo da Cerveja de Jaraguá do Sul". O valor da premiação será de até R$ 3 mil.

O nome do selo também foi alterado por conta da instrução do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), que manifestou a inviabilidade de se constar, no rótulo da cerveja ou chope, a palavra “artesanal”.