Jaraguá do Sul está entre as 12 cidades catarinenses que enviaram oficio a Secretária do Estado de Assistência Social, Trabalho e Educação relatando não ter condições de receber imigrantes venezuelanos. O governo federal havia feito um pedido para que o estado acolhesse cerca de 2,5 mil imigrantes.

Uma das explicações para Jaraguá do Sul não aceitar os refugiados venezuelanos é pela superlotação nos abrigos da cidade. O município conta com apenas um abrigo para pessoas em situação de rua que se enquadra pela Tipificação Nacional dos Serviços Socioassistenciais como uma casa de oassagem.

Segundo a secretária de Assistência Social e Habitação de Jaraguá do Sul, Maria Santin Camello, a única casa destinada a acolhimento no município atende somente pessoas adultas e tem capacidade para 18 usuários, sendo quatro vagas para o público feminino e 14 para o masculino.

"Estamos trabalhando com capacidade máxima. Situação que, historicamente, se agrava no período de inverno", enfatiza.

A secretária conta que o governo federal destinaria ao município R$ 400 mensais para cada estrangeiro amparado, mas que a Casa de Passagem não recebe nenhum auxilio do governo para se manter durante o ano.¹

"A Casa de Passagem não recebe cofinanciamento estadual ou federal, sendo mantida apenas com recursos municipais", conta.

Ela ainda complementa que Jaraguá do Sul é sensível diante o drama vivido pelos refugiados venezuelanos, mas não tem condições de acolhe-los. Atualmente, 50 pessoas circulam por mês pela Casa de Passagem do município.

Crise econômica impulsiona imigração

As outras 11 cidades que também disseram não ter condição para amparar os venezuelanos são Florianópolis, Chapecó, Tubarão, Criciúma, Blumenau, Balneário Camboriú, Lontras, Palhoça, Garuva, Canoinhas e Joinville.

A Venezuela, comanda pelo presidente Nicolás Maduro, passa por uma forte crise econômica que refletiu no aumento desses estrangeiros no Brasil.

Segundo dados da Organização Internacional de Migrações (OIM), 48,5 mil venezuelanos vivem no Brasil e aproximadamente 29,2 mil pediram refugio. Desse montante, quase 35 mil vieram somente em 2017.

Receber pessoas de outros países não é nenhuma novidade para Jaraguá do Sul. Centenas de haitianos tem escolhido o município como destino após o terremoto que devastou o Haiti em janeiro de 2010.

Segundo o Presidente da Associação dos Haitianos em Jaraguá do Sul, François Louis, a cidade conta atualmente com cerca de 600² haitianos.

¹Antes havia um equivoco, quando colocamos que financeiramente seria melhor receber os venezuelanos.
²Antes estava que só 70 haitianos vivem em Jaraguá do Sul, mas 70 é só aqueles que participam do conselho da cidade

Quer receber as notícias no WhatsApp?