O secretário da Fazenda (SEF/SC), Paulo Eli, e o chefe da Casa Civil (SCC) em exercício, Juliano Chiodelli, participaram na manhã desta quarta-feira (15) da reunião da Comissão de Finanças e Tributação na Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc). O objetivo do encontro foi o debate sobre os recursos destinados às emendas impositivas parlamentares e o andamento de leis ainda não regulamentadas.

O governo do estado apresentou um cronograma de pagamentos que totaliza R$ 171.826.553,41, que serão repassados aos municípios catarinenses ainda em 2020.

“No total, as 957 emendas serão pagas nos meses de julho, agosto e dezembro, respeitando o calendário eleitoral”, explica Eli.

Confira o cronograma

  • Em julho, serão quitados os repasses até R$ 200 mil, ou seja, 599 emendas que totalizam R$ 72,3 milhões.
  • Em agosto, estão previstos os pagamentos de 258 emendas, com valores entre R$ 200 mil e R$ 250 mil, que somam R$ 63,1 milhões.
  • Em dezembro, serão efetuados os repasses superiores a R$ 250 mil, cujo total é de R$ 36,3 milhões para 100 emendas. Deste total, R$ 48,6 milhões serão destinados à Saúde e R$ 47,7 milhões à Educação.

Trabalho em conjunto

A deputada estadual e vice-presidente da Comissão de Finanças e Tributação, Luciane Carminatti, destacou a atuação do Governo do Estado. “É um avanço, acho que o caminho é esse, com diálogo aberto e transparente, onde a gente manifesta aqui os interesses dos catarinenses”, disse.

O chefe da Casa Civil em exercício afirmou que o trabalho conjunto entre Executivo e Legislativo contribuiu para reduzir a burocracia no pagamento de emendas impositivas. “Esse novo modelo, que o Governo do Estado construiu com a ajuda da Assembleia, vai garantir que o recurso chegue de forma mais rápida aos municípios, que é onde o cidadão está. Diante da dificuldade financeira que vivemos, é uma grande conquista para Santa Catarina”, pontuou Chiodelli.

O que são emendas impositivas

  • O detalhamento dos repasses está previsto na portaria nº 179/2020, publicada nesta terça-feira,14, no Diário Oficial do Estado (DOE). Segundo a Constituição Estadual, as emendas individuais de parlamentares são recursos do orçamento público, legalmente indicados por deputados ao projeto de Lei Orçamentária Anual (LOA).
  • Elas serão aprovadas no limite de 1% da receita corrente líquida prevista no projeto de lei encaminhado pelo Poder Executivo. Tais emendas permitem que os deputados apontem a destinação de recursos sem a intervenção direta do Executivo.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp