O governador Raimundo Colombo (PSD) deve mesmo renunciar ao governo até meados do ano que vem para concorrer a uma vaga no Senado. Conforme revelou o colunista Moacir Pereira, Colombo não falou em datas, mas deve respeitar o prazo das convenções. O PMDB quer que saia em janeiro de 2018. A confirmação, ainda segundo Pereira, foi feita em reunião com a bancada do PMDB da Assembleia Legislativa, quando foi apresentado o novo líder do PMDB, deputado Mauro de Nadal. Também foi uma tentativa de melhorar o entrosamento entre os dois partidos aliados, PSD e PMDB, pois deputados do PMDB estariam recebendo queixas dos prefeitos sobre atendimento discriminatório de alguns secretários estaduais. O governador prometeu conversar com os auxiliares para corrigir tratamentos desiguais. As relações com o PMDB se distanciaram quando Colombo declarou no Encontro Estadual do PSD que respaldaria o projeto do partido em 2018 e que o candidato oficial ao governo teria seu apoio. O PMDB reagiu, por entender que esta decisão de Colombo poderia resultar no término da coligação. Para o governador, cada partido deve defender seu projeto político.