A Câmara de Vereadores de Corupá elegeu nesta segunda-feira (10) o próximo presidente da Mesa Diretora, para o biênio 2019/2020.

Lairton Hartmann Müller, do MDB, foi eleito com cinco dos nove votos da Casa. Mais economia, diálogo e transparência estão entre as metas do futuro presidente para o próximo ano.

Embora o MDB e o PP tenham um histórico de rivalidade no município, Müller – que fazia parte da bancada da oposição, composta pelos vereadores do MDB e PSDB - foi eleito com o apoio dos três vereadores da bancada do PP, além do voto do correligionário Jony Tribes. Já o tucano Felipe Rafaeli Rodrigues (PSDB), que também concorria ao cargo, acabou fazendo quatro votos.

“Não houve acordo, a eleição foi a manifestação livre dos vereadores, devido ao meu trabalho, feito com diálogo e junto da comunidade”, afirma o futuro presidente.

Ele informa que ainda em novembro deixou de fazer parte do bloco parlamentar da oposição, por entender que não havia mais justificativa para sua existência.

“Não tem mais porque ter [o bloco], porque não fizemos oposição, deixamos o prefeito trabalhar, votamos de acordo com os projetos de interesse para o município, então tem mais sentido”, ele explica, acrescentando que comunicou sua saída ao partido.

“E lancei meu nome [à presidência], o resultado disso, essa adesão, foi devido à diplomacia com que faço meu trabalho”, reforça Müller.

Em seu discurso após a eleição, o parlamentar anunciou que fará uma gestão conjunta com o vice-presidente eleito, Sidnei Moritz Schwerdtner (PP), que terá cópia da chave da sala da presidência, assim como acesso a todos os documentos. Segundo Müller, qualquer decisão da presidência será feita com o consentimento e o conhecimento do vice.

“Tomaremos as decisões em conjunto”, salienta. No entanto, também adianta que não deverá haver “acordo de cavalheiros” para que o pepista assuma no último ano da presidência.

Metas

Entre as metas, o futuro presidente diz que quer fazer “ainda mais economia, responder positivamente à comunidade e respeitar as questões democráticas e de transparência”.

Outro projeto que deve ser retomado é a adequação da sede da Câmara para acessibilidade ao segundo piso do prédio. A construção de uma rampa ou instalação de elevador estão em discussão.

A reforma visa atender a pedido do Ministério Público. Em relação a prazos, o vereador disse que ainda não é possível dizer se a reforma será feita este ano ou no próximo, mas declara que “o quanto antes for feita, melhor”.

A economia a ser buscada na Casa, continua o parlamentar, deverá contribuir para a obra, e o excedente deverá ser destinado à Saúde, o que já estaria decidido entre os vereadores.

Jaraguá do Sul e Massaranduba

Em Jaraguá do Sul, a eleição da Mesa Diretora ocorre na última sessão legislativa do ano, no dia 20 de dezembro. A previsão é de que o vereador Marcelindo Gruner (PTB) seja eleito o próximo presidente, para 2019, conforme o acordo dos partidos da base governista.

No entanto, vereadores mais experientes, como Pedro Garcia (MDB), salientam que surpresas podem ocorrer no momento da votação.

Em Schroeder, também na última sessão do ano os vereadores elegem os membros da Mesa Diretora para o próximo. Como atual presidente, Marina Fernandes (PSD) não concorre à reeleição, segundo ordenamento do Regimento Interno da Câmara.

A presidente comenta que, embora se saiba “mais ou menos” qual deverá ser o voto dos vereadores, não é possível prever quem deverá assumir a Casa no ano que vem, já que a votação é secreta e os votos podem mudar.

Ainda sem data definida, a eleição da Mesa Diretora de Massaranduba ocorre também até o fim do ano. Segundo o presidente da Câmara, Fabiano Kempski (PSDB), a expectativa é que o acordo formado pelos partidos da coligação da base do governo seja mantido, com a eleição de Ilmar Saplinski (PSB) para o comando da Casa.

O acordo de Massaranduba definiu que o primeiro ano teria como presidente o MDB, seguido pelo PSDB no segundo ano, chegando no terceiro com o PSB. Para o último ano, 2020, o acordo prevê que o MDB novamente assuma a presidência do legislativo.

Mas, assim como em Jaraguá do Sul, o atual presidente reforça que esta é a expectativa, que pode não se cumprir, já que todos os vereadores têm direito a concorrer ao cargo.

Em Guaramirim, a eleição também ocorre no dia 20 de dezembro, última sessão ordinária do ano. Segundo a assessoria de comunicação da Casa, o resultado da eleição ainda está indefinido.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?