Trabalhadores de Corupá que foram atingidos pelo ciclone bomba no fim de junho devem procurar a Defesa Civil Municipal para fazer o cadastro de retirada do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS).

O órgão irá encaminhar as documentações para análise e aprovação da Caixa Econômica Federal. Ainda não há data para a liberação do saque.

Somente moradores que comprovarem que foram atingidos pelo vendaval terão direito ao benefício.

Devem ser apresentados à Defesa Civil fotos dos danos nas casas ou ainda notas fiscais de compra de materiais para reforma.

Em casos de isenção de documentos comprobatórios, mediante justificativa plausível, a Defesa irá realizar vistoria no local para comprovação dos danos.

Para realização do cadastro, o trabalhador deve entrar em contato pelo telefone (47) 3375-2789, entre 8h e 12h, de segunda a sexta-feira, até o dia 25 de agosto, para agendar um horário presencial.

No dia marcado, leve as documentações exigidas.

Documentos necessários

  • Identificação com foto;
  • Comprovante de residência;
  • Fotos que comprovam os danos materiais causados pelo ciclone bomba em 30 de junho, ou as notas fiscais de compras de materiais para reforma.

Análise do benefício

É importante salientar que a análise e o parecer de aprovação ou reprovação do benefício será realizada unicamente pela Caixa Econômica.

A Defesa Civil agirá apenas como mediadora entre trabalhador e banco. Não é de responsabilidade do órgão municipal a decisão de quem recebe ou não o FGTS.

Após a análise da Caixa, o trabalhador que for aprovado poderá solicitar o benefício diretamente pelo aplicativo FGTS.

Conforme a Caixa, será disponibilizado valor de até R$ 6.220,00 por trabalhador, de acordo com o valor disponível na conta de cada pessoa.

Somente terá direito o trabalhador que:

  • Tiver tempo de contribuição;
  • Tiver movimentado a conta FGTS devido a decorrência de desastre natural, num período superior a 12 meses;
  • Realizar o cadastro na unidade de Defesa Civil Municipal;
  • Comprovar à Defesa Civil de Corupá os danos materiais ocorridos na residência.

Relembre

No fim da tarde de 30 de junho, rajadas de ventos de cerca de 100 km/h – que depois confirmou se tratar de um ciclone bomba – atingiram várias cidades de Santa Catarina, inclusive Corupá.

Residências e estabelecimentos de todos os bairros foram atingidos. Foram ocorrências de destelhamentos, quedas de árvores, de muros e postes.

A Prefeitura Municipal decretou situação de emergência em 3 de julho. Já o Ministério do Desenvolvimento Regional/Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil, reconheceu na data de 20 de julho o Estado de Calamidade Pública em municípios de SC.

 

Com informações da assessoria de imprensa

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul