Levar o material teórico para a prática é sempre um desafio na educação - e no campo da química, esse trabalho encontra um obstáculo em especial: a dificuldade na obtenção de reagentes, equipamentos e materiais para os experimentos. Há dois anos, a MH3 Industrial, incubada no Jaraguatec, tem buscado formas de ajudar nessa importante parte do processo educativo. A empresa foi fundada pelos engenheiros químicos Eliane Cecília Orongoso e Marcelo Scaburri, com mais de 15 anos de experiência em trabalhos laboratoriais, que notaram ao longo dos anos uma série de dificuldades para a realização de experimentos, especialmente  em sala de aula. "Os professores passam por muitas dificuldades para obter materiais nas quantidades certas, precisam procurar em vários lugares e muitas vezes tem que comprar em grandes quantidades, o que gera custos com o armazenamento", explica Eliane. Atendendo essa demanda por reagentes e equipamentos, muitos dos quais ausentes em várias escolas, a empresa agiliza esse trabalho de preparo dos experimentos com kits prontos de práticas laboratoriais em sala de aula. "E é importante frisar que esse material pode ser usado, com total segurança, na própria sala de aula, sem precisar levar ao laboratório", ressalta Scaburri. Os conjuntos são pensados para experimentos específicos, atendendo as diretrizes do Plano Nacional de Educação (PNE), contam com equipamentos reaproveitáveis e a empresa faz a recarga do material consumido. Pensando na segurança, os kits também trocam o tradicional - e potencialmente perigoso - bico de bunsen por um aquecedor elétrico com manta térmica, sem risco de queimaduras. Os kits são para até cinco alunos cada e o "curriculum" acadêmico da empresa conta com de quatro a cinco experimentos para cada ano. Segundo Eliane, professores podem optar por não utilizarem todos os experimentos, que contam com instruções para seu uso pedagógico e para o acompanhamento após a prática.

Parceria com a Prefeitura

A avaliação da dupla quanto à dificuldade para professores obterem os materiais que precisam para passar o conteúdo da teoria para prática parece ter respaldo na realidade, e um sinal disso se deu pela resposta do poder público: a empresa tem trabalhado junto com a Prefeitura Municipal de Jaraguá do Sul para fornecer, gratuitamente, os kits para professores da rede pública. "Não estamos cobrando nada, a Prefeitura não está tendo despesa alguma com isso, o que estamos fazendo por ora é um trabalho de divulgação deste material para mostrar aos nossos docentes as possibilidades", explica Eliane. A dupla já teve duas reuniões com profissionais da educação no município, e a decisão do contato com o poder público veio da empresa. Os professores interessados já receberam o kit para o primeiro experimento previsto no conteúdo de suas turmas, e a próxima etapa é a entrega do kit número 2.

Química Show e reagentes sob medida

Além do kits abordando material mais tradicional do curriculum de química - como conjunto mostrado pela dupla, destinado à turmas do 9º ano, demonstrando o ponto de fusão e de condensação da naftalina - e do fornecimento de reagentes para professores e instituições de ensino, a empresa trabalha também com conjuntos para demonstrações mais "vistosas" - a chamada "química show". Também voltada para professores, essa linha trabalha com conjuntos para experimentos mais chamativos, como combustão, mudança de cor, fumaças coloridas e cristalização. As duas vertentes já foram trabalhadas com sucesso em escolas da região e tem tido boa procura por parte de professores. Outro trabalho feito pela empresa é o fornecimento preparado e em medidas precisas de mais de 200 itens usados em experimentos laboratoriais. "Muitos desses reagentes são difíceis de armazenar ou de obter e os meios mais fáceis envolvem comprar quantidades muito grandes", explica Scaburri.