"Esse é um governo covarde e ineficiente", afirma autor do pedido de impeachment do governador Carlos Moisés
"Esse é um governo covarde e ineficiente", afirma autor do pedido de impeachment do governador Carlos Moisés

A Assembleia Legislativa de Santa Catarina (Alesc) abriu oficialmente nesta quinta-feira (30) o processo de impeachment por crime de responsabilidade contra o governador Carlos Moisés, a vice-governadora Daniela Reinehr, e o secretário de Estado da Administração, Jorge Eduardo Tasca. A leitura da representação foi feita durante sessão em plenário pelo 1º secretário do Legislativo estadual, deputado Laércio Schuster.

Entenda como funciona o processo de impeachment

O pedido de impeachment foi inicialmente feito pelo defensor público Ralf Zimmer Junior, que aponta crime de responsabilidade de Moisés e Tasca no ato administrativo de 2019 que deu aumento aos procuradores do Estado.

Em entrevista à Rádio Hulha Negra nesta sexta-feira (31) o procurador afirmou que o governo de Carlos Moisés é covarde e ineficiente. “O governador Moisés, em 2019, vetou, corretamente, o aumento concedido pela Assembleia Legislativa aos procuradores. E aí muito provável que agora, ao buscar prestígio dos procuradores, ele concede as escondidas esse aumento em gabinete”, afirmou Zimmer.

“É o governo mais incompetente da história dos catarinenses. Não tem respeito nenhum. O governador Moisés fala em respeito da boca para fora, de uma forma hipócrita. Esse governo é covarde, além de ineficiente”, completou o procurador.

Agora, com a abertura do processo, e a notificação dos três envolvidos, passa a contar o prazo de dez sessões ordinárias para que Moisés, Daniela e Tasca apresentem as defesas aos deputados.

Clique e ouça a entrevista completa do procurador.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram Jaraguá do Sul