O deputado federal reeleito, Fábio Schiochet (União Brasil), 34 anos, faz uma avaliação do primeiro turno das eleições, agradece a ajuda dos amigos e fala dos seus planos para o novo mandato. Confira a entrevista:

Que avaliação o senhor faz deste primeiro turno das eleições?

Foi uma campanha muito positiva. Nós trabalhamos muito nesses 45 dias e o resultado das urnas foi o resultado de três anos e meio de trabalho, visitando lideranças e vários municípios. Tivemos votos em 292 cidades catarinenses e em apenas três municípios não pontuamos. Foi um primeiro turno extremamente polarizado e nós não estávamos com o número 22 ou o número 13. Então, essa nossa eleição é resultado do nosso trabalho em todo o Estado de Santa Catarina, mas também dedico essa conquista aos amigos, que levaram o nosso nome adiante.

Em seu novo mandato como deputado federal, quais serão suas principais pautas?

A nossa principal bandeira é continuar defendendo os pequenos municípios. Atualmente, 50 % da população de Santa Catarina mora em 30 cidades. Os outros 50% dos habitantes do Estado, moram em 265 municípios, ou seja, Santa Catarina é um estado formado, em sua grande maioria, por cidades pequenas, que, muitas vezes, querem fazer um quilômetro de pavimentação, construir um posto de saúde, comprar uma máquina agrícola, uma retroescavadeira, uma motoniveladora, uma ambulância, e não consegue, não por um problema de gestão, mas porque depende da arrecadação. Esse é o papel do parlamentar em Brasília. Fazer essa ponte, trazer os recursos de volta para casa. Então, a nossa principal atividade lá em Brasília será continuar trazendo recursos para Santa Catarina e continuar representando também a região Norte do Estado, uma vez que agora contamos com apenas três deputados federais - dois de Jaraguá do Sul e um de Joinville. Então, vamos continuar a fazer esse trabalho, atendendo às principais pautas do nosso Estado, na infraestrutura, na saúde, na educação, na segurança pública, na agricultura. Continuar com o gabinete 758, defendendo o nosso Estado e o Norte de SC. Quero dizer também que, como deputado federal, já trouxe para Santa Catarina cerca de R$ 200 milhões em investimentos, dos quais R$ 23 milhões para municípios da região do Vale do Itapocu, sendo quase R$ 10 milhões para Jaraguá do Sul. Também tive atuação decisiva na conquista das obras de duplicação da BR-280 junto aos governos Estadual e Federal. Neste novo mandato vou trabalhar para garantir que seja dada sequência às obras de duplicação da BR-280. Também continuarei levando o nome de Jaraguá do Sul e da região por toda Santa Catarina e pelo Brasil. Além disso, permanecerei sendo um defensor dos valores da família e um combatente implacável de atos de corrupção.

Foto: Divulgação

Qual será o seu posicionamento no segundo turno das eleições em 30 de outubro?

Para o segundo turno nacional já temos um posicionamento que é de apoio à reeleição do presidente Jair Bolsonaro, uma vez que, mesmo meu partido tendo candidata, nos 45 dias antes do primeiro turno eu já apoiava o presidente Bolsonaro, porque entendo que ele vem fazendo um excelente trabalho. Então, é muito importante agora que todos os cidadãos deem o seu apoio ao Bolsonaro, para que nós não tenhamos a volta do PT ao governo, a volta do PT ao poder, para que a gente continue fazendo as mudanças necessárias. O parlamento vai ter um papel fundamental em 2023, uma vez que nós precisamos de várias reformas. É importante que a gente continue fazendo o trabalho que a Câmara vem fazendo, que é um trabalho mais de agilidade em cima dessas reformas estruturantes que são fundamentais para o nosso País e para Santa Catarina.

E quanto à disputa pelo governo de Santa Catarina, qual será a sua posição?

Por entender que a Esquerda não tem como voltar para o poder no Brasil, está fácil fazer essa definição, uma vez que nós temos um candidato apoiado pelo presidente Jair Bolsonaro em Santa Catarina e outro (Décio Silva - PT) apoiado pelo Lula. Por conta disso, o nosso apoio neste segundo turno das eleições será para o candidato Jorginho Mello, do Partido Liberal (PL).