Um levantamento da Diretoria de Trânsito e Transportes da Secretaria Municipal de Planejamento e Urbanismo aponta que, entre os anos de 2017 a 2020, a Prefeitura de Jaraguá do Sul recebeu 554 pedidos de implantação de lombadas físicas e faixas elevadas por meio da Ouvidoria (0800-642-156) e outros 237 pedidos foram feitos pelos vereadores, por meio de indicações, totalizando 791 solicitações. Só em 2021, até este dia 30 de abril, já mais 50 solicitações deste tipo oriundas do legislativo.

O diretor de Trânsito e Transportes, Gildo Martins de Andrade Filho, explica que o setor tem critérios técnicos, baseados nas Resoluções números 600 e 738 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e nos índices de acidentes de trânsito atendidos pela Polícia Militar e pelos Bombeiros Voluntários de Jaraguá do Sul. “Existem vários critérios a serem observados nestas resoluções e que somos obrigados a seguir”, resume ele.

Do total de pedidos recebidos, Andrade destaca que aproximadamente 10% foram identificados como necessários e implantados. Andrade lembra que na gestão anterior, o prefeito Antídio Lunelli determinou que se padronizasse a velocidade para 60 quilômetros por hora, eliminando os de 40 por hora.

Andrade exemplificou citando o caso de uma faixa elevada instalada nesta semana na Rua Manoel Francisco da Costa, Bairro João Pessoa. “Ali existe uma indústria têxtil, onde há grande movimentação de pessoas, ciclistas, tem parada de ônibus e o trânsito intenso da via, o que justifica a instalação do equipamento”, explica, acrescentando que com isso, desativando um controlador eletrônico de velocidade instalado há poucos metros do local.

Outra faixa elevada instalada nesta semana foi na Rua Maria Umbelina da Silva, no Bairro Vila Lenzi, na esquina do supermercado Kondor. “Ali, criou-se um núcleo comercial, com considerável circulação de pessoas e com movimentação de veículos mais intensa nos horários de pico, o que, também justifica o pedido”, diz o diretor.

Sobre as solicitações mais recentes, o diretor de Trânsito cita o exemplo da Rua José Theodoro Ribeiro, onde chegaram ao setor pedidos para instalação de lombadas e faixas elevadas em nove pontos diferentes do segundo trecho de mão única desta via, ou seja, numa extensão de 1.800 metros, desde o acesso à Ponte Antônio Ribeiro (Ponte do Trabalhador), até a rotatória de acesso à Via Verde e ponte que liga ao Bairro Centenário. A mão única neste trecho foi criada recentemente pela Prefeitura com a abertura da Via Verde.

“Se fossemos atender a estas solicitações teríamos que colocar um obstáculo desses a uma distância média de 200 metros cada uma”, analisa, enfatizando que o motivo gerador destas solicitações é o excesso de velocidade na via e, apesar disso, não há índices de acidentes de trânsito. “É uma questão de respeito aos limites de velocidade”, completa.

A equipe técnica da Secretaria Municipal de Planejamento e Urbanismo analisa cada solicitação e demanda recebida com a finalidade de manter o trânsito o mais seguro e dinâmico possível.