Na abertura da 23ª Feira Internacional de Turismo da América Latina (FIT), o ministro do Turismo Vinicius Lummertz conversou com o seu colega argentino, Gustavo Santos, “e fiquei convencido de que, apesar da crise no país vizinho, a temporada de verão no Brasil e no nosso estado deverá ser a melhor dos últimos anos”.

A Feira reúne representantes de 50 países, em um espaço de 35 mil m², com 1.450 expositores. O estande brasileiro ocupa espaço de destaque no pavilhão, com 25 expositores, entre eles SC, com um espaço de 133 m².

O governador Eduardo Pinho Moreira também participou da abertura do evento e disse que também espera por uma boa temporada, informando que até a semana passada o número de reservas para voos charter já era 35% maior do que no ano passado.

“A Argentina – lembrou o ministro Vinicius Lummertz – é o país de onde sai o maior número de turistas para o Brasil, cerca de 40% de todos os estrangeiros que entram no nosso país são de lá. Santa Catarina, Rio de Janeiro e, mais recentemente, o Nordeste, são destinos os mais procurados”.

Na FIT, o espaço é dedicado à promoção e comercialização dos destinos nacionais. “Temos de dedicar especial atenção ao principal mercado emissivo de viajantes para o nosso país”, comentou o ministro.

Foto Divulgação

Ao todo, os turistas argentinos injetaram US$ 1,625 bilhão na economia brasileira. Em 2017, o Brasil recebeu R$2,6 milhões de turistas argentinos, um crescimento de 64% em relação a 2011, quando o número registrado foi de R$ 1,6 milhão.

Durante a abertura da feira, o secretário de Turismo da Argentina, Gustavo Santos, frisou a importância econômica do setor de viagens.

“Somos responsáveis por um em cada cinco empregos criados no mundo. Estamos falando de um setor de mão de obra intensiva, um setor que conecta as pessoas e, por isso, deve ter prioridade absoluta nas agendas estratégicas”, disse Santos.

Para ele, o setor é uma das soluções para o país enfrentar a crise.

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?