O número de filiados a partidos políticos de Jaraguá do Sul cresceu 11% desde as últimas eleições municipais, em 2012, passando de 9.970 filiados para 11.206, em 2016. A quantidade de siglas com representantes também aumentou. Em 2012 eram 23 partidos, enquanto neste ano são oito novas legendas, reunindo 177 filiados. Os dados são registrados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no período de maio de 2012 a maio de 2016. Os maiores partidos de Jaraguá do Sul são o PMDB, com 2.311 filiados, o PSDB, com 1.493, seguido pelo PP, com 1.131 membros. O PMDB e o PSDB mantém as mesmas posições, desde 2012, enquanto que o PP ultrapassou, pela primeira vez nos quatro anos, o DEM, que entre maio de 2012 e maio deste ano registrou 40 filiados a menos, figurando como quarto maior partido do município. O DEM sofreu com a saída de alguns membros que migraram para o PSD. Já o PSD registrou o segundo maior crescimento em número de filiados, com 203 novos membros, passando de 67 em maio de 2012, para 270 em maio deste ano. A representatividade política do partido também aumentou, com a migração de três vereadores – Arlindo Rincos, Jair Pedri e João Fiamoncini – para a legenda, levando a sigla a ocupar quatro cadeiras no Legislativo. Porém, o maior crescimento em número de filiados no período avaliado é do PMDB, com 473 novos membros, números que acompanham o tamanho do partido no município. Em relação ao PT, apesar da crise enfrentada pelo partido por conta dos escândalos nacionais, a legenda registrou crescimento, com 95 novos filiados desde maio de 2012. É o quarto maior crescimento em número de filiados em Jaraguá do Sul. A terceira posição ficou com o PSDC, que contabilizou 156 novos membros, subindo de 15 para 171 filiados. Entre as legendas com menor representatividade, PRTB e REDE aparecem em último lugar, ambas com 1 filiado. NOVO e PSL registram dois membros cada sigla, e o PSOL contabiliza cinco filiados. pagina 5 Número de filiações e momento político A quantidade de filiados dos partidos tem demonstrado relação com o momento político das siglas, seja nas esferas federal e estadual, seja na municipal – como anúncios de pré-candidaturas a prefeito. Em Jaraguá do Sul, o PMDB registrou crescimento de 335 filiados entre maio de 2013 e 2014, ano em que o partido garantiu duas vitórias importantes: a de Michel Temer, como vice-presidente da República, e Eduardo Pinho Moreira, como vice-governador de Santa Catarina. Já o PSDB, que tem o ex-prefeito Irineu Pasold como pré-candidato neste ano, vinha em queda de 2013 até 2015, porém recuperou o crescimento em maio de 2016, com 65 membros a mais que no mesmo mês de 2015. O PP, que aposta na reeleição de Dieter Janssen à Prefeitura do município, apresentou números estáveis entre maio de 2012 e 2013, e certa queda em 2014 e 2015. Contudo, registrou o mesmo saldo positivo que o PSDB. O PSDC e o PSD figuram como dois dos três maiores crescimentos neste ano, e ambos anunciaram as pré-candidaturas do radialista Junqueira Junior e do vereador Jair Pedri à cabeça de chapa na disputa majoritária, respectivamente. No PSB, partido do pré-candidato Ivo Konell – ex-prefeito de Jaraguá do Sul – também há crescimento entre maio de 2015 e maio de 2016, com 40 novos filiados. Maiores partidos seguem estratégias Entre os três maiores partidos de Jaraguá do Sul em número de filiados, os presidentes do PMDB e PSDB continuam o trabalho para angariar novas filiações, no entanto, as estratégias e objetivos são diferentes. Conforme Carlos Chiodini, à frente do PMDB, a meta é fechar o ano com um total de 3 mil filiados. Serão necessários mais 680 nomes. Para isso, a legenda vem mantendo o trabalho de militância. “O partido mantem o diretório aberto todos os dias, as lideranças se mobilizam para fazer novas filiações, é o trabalho constante do partido. Há o relacionamento entre as lideranças, criando um canal de comunicação, de conversação, seja por reuniões ou e-mails”, disse. Já no ninho tucano, segundo afirmou a presidente Márcia Alberton, não há meta em número, mas um trabalho para agregar pessoas que conheçam a atuação do partido e tenham interesse em participar ativamente da política. “Às vezes, se faz aqueles eventos de filiação, muitos se filiam por conveniência, na hora, e às vezes depois nem se tem mais contato”, comentou Marcia. No PP, o momento agora é de atuar junto aos pré-candidatos a vereador e também no projeto de reeleição de Dieter Janssen, de acordo com o presidente, Ademir Izidoro. “É também o momento de intensificar as conversas com os outros partidos, para as composições e coligações”, acrescentou Izidoro.