No primeiro turno das eleições, em 2 de outubro, Jaraguá do Sul teve quatro deputados eleitos: Carlos Chiodini (MDB), com 80.089 votos, e Fábio Schiochet (União Brasil), com 51.824 votos, se reelegeram deputados federais, enquanto Antídio Lunelli (MDB) foi eleito deputado estadual com 74,5 mil votos e Vicente Caropreso (PSDB) foi reeleito deputado estadual, com 39.797 votos.

Os quatro apoiam Jorginho Mello (PL) para o governo de Santa Catarina e trabalham pela reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL). Os parlamentares também defendem a pacificação entre os eleitores nesta véspera de segundo turno.

Respeito e união

Carlos Chiodini (MDB) destaca que já apoiou o candidato ao governo de Santa Catarina, Jorginho Mello, quando ele se elegeu ao Senado em 2018, e diz que, com a vitória dele nas eleições deste ano, o MDB terá na legenda a senadora Ivete da Silveira. "A candidatura do Jorginho representa mais o momento e quanto à presidência da República, até em respeito aos meus eleitores e à sociedade catarinene que votou massivamente no Bolsonaro, e espera a vitória dele neste segundo turno, meu voto será no 22", ressalta.

Quanto à polarização política, Chiodini afirma que "o Brasil é um país reconhecido pela sua ampla representatividade democrática" e que os eleitores devem defender seus candidatos e respeitar as opiniões divergentes. "Passadas as eleições, teremos que nos unir e lutar pelas prioridades de Santa Catarina e do Brasil", conclui.

 

Foto: Divulgação

Coerência política

O deputado federal Fábio Schiochet (União Brasil) diz acreditar que as eleições se darão de maneira pacífica "porque assim é povo brasileiro". Schiochet afirma, ainda, que em sua trajetória política sempre procurou manter coerência com o que acredita. "Sou um político conservador, defensor do liberalismo econômico e da família. Então, assim como já votei no primeiro turno, meu voto será no presidente Jair Bolsonaro. Não aceito a volta do PT e seus desmandos."

Foto: Divulgação

Defesa da democracia

Vicente Caropreso (PSDB) afirma que será coerente com a campanha que realizou no primeiro turno, quando apoiou Esperidião Amin e Bolsonaro. "O segundo turno abre marcado por uma determinante preferência dos catarinenses por Jorginho Mello e Bolsonaro, os quais têm o meu apoio."

O deputado reeleito pelo PSDB também frisa que é um defensor da democracia, "pois ela é o pilar, o esteio de um povo e de um país." E completa dizendo que " não é questão partidária, a questão é sermos livres. Podermos pensar e falar, dentro da lei." O parlamentar também defende os debates sem violência, "afinal, numa democracia existem posições contrárias e elas devem conviver pacificamente."

Foto: Divulgação

Respeito às regras

Antídio Lunelli (MDB) está apoiando e fazendo campanha para Jorginho Mello e Jair Bolsonaro. "O apoio a eles é uma questão de mirar o desenvolvimento dentro do estado, o desenvolvimento do país com as pautas progressistas na economia", declara o deputado, frisando que é um político de centro-direita e que, portanto, tem afinidade política com os dois candidatos que apoia.

Lunelli orienta os eleitores para que continuem pedindo votos, principalmente para Bolsonaro, cuja campanha está mais acirrada, mas que respeitem as regras, respeitem a democracia, não entrem em confusão, que se manifestem como vem sendo feito, de maneira pacífica e ordeira.

Foto: Divulgação