Candidato Humberto Grossl (PPS), com a neta, Maria Clara, de cinco meses, declara que tem esperança em um futuro melhor | Foto Divulgação/Arquivo Pessoal

Candidato Humberto Grossl (PPS), com a neta, Maria Clara, de cinco meses, declara que tem esperança em um futuro melhor | Foto Divulgação/Arquivo Pessoal

O OCP News continua nesta sexta-feira (14) com a série especial de entrevistas com os candidatos da região a deputado estadual. Confira quem são e quais as principais propostas.

“Quero levantar as bandeiras que estão caídas no chão”

Natural de São Bento do Sul (SC), Humberto Grossl (PPS) mora em Jaraguá do Sul há 53 anos. Casado há 37 anos, tem três filhos e netos. É empresário no ramo da construção civil, com ensino médio incompleto.

Foi representante comercial da Oxford S.A, gerente nacional de vendas da I.B.H.N, e atua há 14 anos como voluntário na coordenação geral do Encontro de Pais com Cristo. Sua participação na política começou em 2004, quando filiou-se ao PPS, partido que presidiu por dois mandatos.

Por que quer ser deputado estadual?

Como pai, empresário e no trabalho voluntário que faço junto às famílias, vejo a importância de ter um representante no cenário político que seja atuante e acompanhe as necessidades das famílias como um todo, e não apenas uma parte. Não representarei o eu, mas o nós.

Não sou uma pessoa com fala acadêmica, mas tenho atitudes dignas de um bom representante e farei um mandato com transparência e responsabilidade.

Quais serão suas principais bandeiras?

Quero levantar as bandeiras que estão caídas no chão, nas promessas daqueles que são eleitos e reeleitos. Todos precisam de educação, saúde, segurança, cultura, porque nem só de pão vive o homem e muito menos de promessas.

Não tem família unida e feliz sem recursos para cuidar da saúde, ir ao teatro, manter seu filho na escola, competir no mercado de trabalho. Tenho iniciativa e me comprometo a erguer essas bandeiras.

Como deve ser o comportamento de um político?

Suas atitudes devem ser coerentes com o que se propõe a fazer ou a ser, honrando suas promessas de campanha, permanecendo no cargo que foi eleito. Se o político tiver má conduta, assim será seu mandato.

O político deve ter disposição em lutar pelos interesses da população, com seriedade, honestidade, buscando o bem comum, consciente dos seus direitos e deveres, obedecendo as leis que lhe cabem.

Como pretende auxiliar a região?

Vou fazer um mandato participativo, buscando os interesses dos municípios, atento às necessidades e manutenção de projetos funcionais dentro de cada setor, pois todos são importantes.

Por exemplo, manter projetos sustentáveis, desassoreamento dos rios Itapocu e Jaraguá, conclusão da duplicação da BR-280, incentivo à segurança pública e ao turismo e cultura, pedir pelo povo, buscando melhor qualidade de vida.

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?