A dupla de empresários eleita para o próximo mandato da Prefeitura de Jaraguá do Sul toma posse em 1º de janeiro de 2021 com a bandeira da desburocratização e um compromisso ainda maior com as demandas da população, com a reeleição do prefeito Antídio Lunelli (MDB) à frente da gestão municipal.

"Foi uma eleição histórica em Jaraguá do Sul, nunca nenhum prefeito se reelegeu, principalmente com 70,66% dos votos, isto nos dá a validação e credibilidade do nosso trabalho e aumenta ainda mais nossa responsabilidade daqui para a frente", declara Lunelli, em entrevista ao OCP News na manhã desta terça-feira (17).

 

 

Acompanhado do vice-prefeito eleito Jair Franzner (MDB), Lunelli relembrou o primeiro ano de sua estreia no setor público, em 2017, um ano marcado pelas consequências da crise econômica brasileira, que vinha de um agravamento desde 2014.

"Foi um ano bastante difícil, que chegamos com nosso caixa negativo, um ano que a receita decaiu, e nós tivemos que honrar todos os compromissos e fazer todos os ajustes", lembra.

Agora, com 56.476 mil votos e mais experiente, o prefeito diz que, mesmo com os obstáculos da pandemia do coronavírus, o primeiro ano do novo governo deve ser de continuidade do trabalho que já vinha sendo feito e de projetos prontos para sairem do papel, ainda no primeiro semestre.

Projetos para os próximos anos

Para o segundo mandato, o prefeito Antídio Lunelli destaca alguns dos projetos já encaminhados. Na área da mobilidade, o governo já programou a construção de novas pontes, algumas que serão licitadas já no próximo mês.

O governo também quer trabalhar no projeto do condomínio industrial, para fortalecer a geração de emprego e renda e o trabalho para a desburocratização do setor público deve ser ainda mais forte na próxima gestão.

A Educação também deve ser aprimorada, diz Lunelli, com a formação dos professores e equipe e os investimentos que já estão sendo feitos nas escolas, como reformas e outras melhorias.

"São muitos projetos e todos têm sua continuidade, sempre vendo a questão financeira também porque nunca vou dar uma ordem de serviço sem que tenhamos o dinheiro no caixa", afirma.

Veja a entrevista completa com Antídio Lunelli (MDB) e Jair Franzner (MDB):

OCP - Como está o encerramento do exercício financeiro deste ano, algo fica engatado já para o primeiro semestre do ano que vem?

Antídio Lunelli - Vamos terminar o ano financeiramente muito bem, temos as contas todas em dia, nossos projetos continuarão normalmente.

Algumas obras já licitadas não conseguiremos entregar até o dia 31 de dezembro, muitas ainda não iniciaram, acreditamos que deveremos de ir até o mês de maio, junho do ano que vem para conseguirmos entregar o que já está licitado. Sobre novos projetos, temos já na gaveta entre 95, 96 projetos, mas 50 já terão condições de serem executados, já dando sequência ao nosso trabalho.

Além da infraestrutura, também temos a educação, saúde. Estamos nesse momento com aumento no número de casos (de coronavírus), na semana passada tivemos o maior pico da pandemia até o momento. Então estamos destinando nossos postos de saúde, pronto atendimento, tudo para conseguirmos contornar essa situação difícil.

Mas Jaraguá do Sul continua sendo exemplo, é a menor taxa de mortalidade, de contaminação entre as cidades acima de 100 mil habitantes, então estamos muito focados nisso.

OCP - Sobre o início do ano letivo em fevereiro de 2021, esse retorno será presencial?

Tudo vai depender da situação da pandemia. Nós estamos preparados para isso, estamos trabalhando para poder voltar às aulas normais, mas naturalmente dependemos de como estará a situação, esse controle. Estamos torcendo que saiam as vacinas, para que isso tudo possa voltar à normalidade, porque ninguém aguenta mais essa situação.

OCP - O primeiro ano do mandato de estreia no setor público, em 2017, foi de ajustes da casa e para se inteirar do processo. Agora para esse primeiro ano de governo reeleito, qual a expectativa de ritmo de trabalho?

Quando chegamos há 4 anos na Prefeitura, tivemos uma dificuldade grande porque passávamos por aquela crise econômica do nosso país, muito grande, na época da presidente Dilma (Rousseff) ainda, chegamos num momento muito dificil para a Prefeitura de Jaraguá.

Depois naturalmente houve o atropelo da crise econômica que sofremos e tivemos aquele enfrentamento naquele momento, porque se fazia necessário, nao é coisa do prefeito contra ninguém.

Se eu fui eleito para pilotar um ônibus, que se chama Jaraguá do Sul, e dentro está toda a população e eu estou vendo ali na frente que vamos cair numa ribanceira, eu tenho que desviar, frear, fazer as curvas, eu fui eleito para isso, para conduzir nosso municipio, e assim o fizemos e conseguimos contornar toda a situação.

Então começamos a trabalhar, colocamos ordem na casa, demos a gestão na nossa administração e agora no último ano tivemos esse problema sério do coronavirus, que afetou o país e o mundo violentamente.

A priori não iremos parar com nada, vamos continuar com todos os nossos projetos, a menos que venha a se agravar muito a situação, que venha afetar muito, mas de uma forma bastante equilibrada, tudo deverá continuar numa normalidade, sempre antenados porque afinal o município não pode ficar descalço, o município tem que ter suas reservas para qualquer situação emergencial.

OCP - Quanto ao secretariado, já se começou a montagem da equipe, tem alguma definição?

Não, continuaremos com toda a normalidade como está até 31 de dezembro, depois nós sentaremos e iremos verificar. Temos pessoas boas em todos os partidos bem como temos muitos funcionários de carreira do municipio, então nos sentaremos e faremos uma análise, do que se faz necessário mudar.

Em momento algum houve promessa ou troca de moeda, cargo tal para partido tal. Tudo permanecerá como está, e a partir de janeiro do ano que vem então vamos avaliar se há necessidade de alguma intervenção aqui ou acolá, algum aumento de secretaria, ou fechamento de secretaria ou ajustes, isso tudo faremos a partir do ano que vem.

Foto Adilson Amorim/OCP News

OCP - As eleições deste ano a Câmara de Vereadores deu uma boa renovada. Qual a expectativa de trabalho junto com os novos parlamentares?

A expectativa é sempre do prefeito ouvir, ouvir a todos, o diálogo é importantíssimo, afinal, todos foram eleitos, temos que respeitar da mesma forma que nos respeitam, democraticamente. Foi uma eleição histórica em Jaraguá do Sul, nunca nenhum prefeito se reelegeu, principalmente com 70,66%, isto nos dá a validação e credibilidade do nosso trabalho e aumenta nossa responsabilidade daqui para a frente.

Mas por outro lado contamos com a experiência que adquirimos, mas mostrou que nóss muito mais acertamos do que erramos. Então referente à Câmara, será uma Câmara bastante atuante, de muito diálogo com o Executivo e certamente nós conseguiremos construir um bom andamento do nosso município.

Tenho certeza absoluta que construiremos de uma forma muito positiva e importante também que haja discussão, diálogo, troca de ideias, isso é muito democrático e importante, então confesso que estou bastante tranquilo e otimista em relação a nossa Câmara.

E como Executivo trabalharemos em todos os pontos, em todas as formas possíveis para que possamos sempre atender aos pleitos, à reivindicação dos nossos vereadores.

OCP - Vice-prefeito Jair Franzner : como está a preparação para assumir o cargo no setor público? Já está definido em que áreas o senhor deve se focar, talvez conduzir alguma secretaria?

Jair Franzner - Quero dizer que desde o início, quando o Antídio me convidou para ser vice na campanha com ele, a gente deixou tratado como um acordo de cavalheiros que no primeiro ano eu continuaria nas minhas atividades na empresa, mas participaria na prefeitura de reuniões, e caso ele tenha que se ausentar, eu assumiria.

Estamos com um projeto na empresa de virada de geração, da segunda para a terceira, que conclui agora em 2021, na virada de 2022 a terceira geração e toda a equipe de profisisonais assume a empresa e nós os seis irmãos vamos para o conselho. Então a partir de 2022 aí sim vou estar à disposição da nossa Prefeitura, mas não sentamos ainda para definir.

Mas posso dizer que estou bastante animado e feliz com essa vitória, e quero dar minha participação para Jaraguá do Sul também.

OCP - Tem alguma área que o senhor, pela sua experiência no setor privado, avalia que poderá contribuir mais com o Município?

Eu sempre fui chão de fábrica na nossa empresa. Teve momentos que diversificamos, abrimos outros ramos, e eu toquei outras empresas, mas depois voltei para o chão de fábrica, é o que amo fazer e sou muito feliz no que faço.

Penso que posso ajudar no chão de fábrica da Prefeitura, que no meu entender é trabalhar fora, acompanhar as obras fora, quem sabe contribuir bastante para alguns pontos que eventualmente tenham se desenvolvido menos, porque por mais que se trabalhe bem, alguma coisa pode ter ficado um pouco mais para trás.

Estou aí para contribuir, vou fazer minha parte e não tenho medo de enfrentar, e quero aprender também com quem estiver lá.

OCP - E sobre a vitória deste domingo (15), como foi receber o resultado e como o avaliam?

Antídio Lunelli - Estamos muito felizes e quero agradecer a toda a populaçao de Jaraguá do Sul que nos confiou os votos, bem como aos nossos secretários, nossa equipe de governo, de marketing, que nos deram a cobertura em todos os momentos. E agradecer especialmente à família, pelo apoio.

Durante a campanha fomos muito bem recebidos, desde a pessoa de mais alta classe até a pessoa mais humilde e isso é gratificante e nos credencia e, principalmente, a questão da responsabilidade, da confiança que as pessoas colocaram na minha pessoa e na pessoa do Jair.

Em momento algum vamos decepcionar o povo de Jaraguá do Sul, até porque temos um governo muito transparente e de cuidado com o dinheiro público.

Jair Franzner - Quero agradecer a todos os jaraguaenses pelos votos confiados, também quero dizer que sou marinheiro de primeira viagem, nunca estive envolvido nesse meio, mas que esses 45, 60 dias de andanças me mostraram que também é um meio bom de se trabalhar e que existe a politica boa.

Quero também agradecer o apoio, em especial da minha mãe, que me incentivou para assumir, à minha esposa que não queria que me candidatasse, mas depois aceitou, aos meus irmãos e a Deus por permitir a gente ter feito essa campanha e ter sido tão bem recebidos. Vamos trabalhar incansavelmente para atingir os objetivos da população.

 

 

 

Telegram Jaraguá do Sul