Na última quarta-feira (21), em sessão realizada na Alesc, o deputado estadual Sargento Lima (PL) acusou um professor da EEB Tufi Dippe, de Joinville, de promover discussão ideológica.

Em áudio gravado em sala de aula, o docente se referiu ao presidente Jair Bolsonaro como "corrupto", "homofóbico" e "misógino"

“Se isso não é militância dentro da escola, não sei o que é”, avaliou Lima, depois de exibir o áudio da discussão entre o professor e uma aluna.

O parlamentar afirmou que questionará ao secretário de Estado da Educação, deputado Luiz Fernando Vampiro (MDB), o conteúdo das aulas, uma vez que a escola em que o caso ocorreu é estadual.

Em seu discurso, ele ainda estimulou os jovens a estudarem português, matemática e ciências. “Não fique discutindo política na sala de aula”, recomendou Lima à juventude catarinense. O deputado Kennedy Nunes (PTB) apoiou o colega.

“Quando começarem a discutir esse assunto, chame a atenção do seu professor. Diga: 'Professor, eu não vim aqui para falar de política, eu vim aqui para estudar'”, aconselhou Lima.