Ana Paula da Silva, popularmente conhecida como Paulinha, foi eleita deputada estadual nas últimas eleições com a 5ª maior votação em Santa Catarina.

Foram 51.739 votos para a ex-prefeita de Bombinhas. Aliás, foi como prefeita que ela ganhou notoriedade e aprovação. Em sua reeleição em 2016, o índice chegava a 72,92%.

Mas, nenhum dos dados acima foi o destaque de sua posse na Assembléia Legislativa de Santa Catarina.

Em uma eleição histórica para as mulheres catarinenses – foram eleitas cinco representantes – o principal assunto não foi o bom índice de aprovação, a votação expressiva ou suas ações à frente da Prefeitura de Bombinhas e sim, sua roupa.

Paulinha virou alvo de críticas por conta do decote utilizado em um macacão vermelho. Nas redes sociais, comentários ofensivos e que inclusive mencionavam estupro se espalhavam.

Entre os que comentaram, um policial militar do Sul do Estado deve ser representado pela deputada, que enviará um ofício ao Comando Geral da Polícia Militar, informando a conduta do policial que, de acordo com a PM, é da reserva, mas deve responder por processo administrativo.

Além dele, a deputada deve levar outros ofensores à Justiça por meio de cópia dos comentários feitos nas redes sociais.

Em entrevista, Paulinha disse estar surpresa com a repercussão do decote, uma vez que não mudou a maneira de se vestir e ressaltou a importância de utilizar o fato para discutir o machismo e a presença da mulher na política nacional.

Ela ressaltou ainda que as mulheres estão na política e a sociedade precisa se acostumar a isso e enfatizou que há assuntos muito mais importantes para serem discutidos na Alesc.

A deputada afirmou que quaisquer indenizações que possam ser direcionadas a ela por eventuais condenações dos ofensores serão doadas à instituições que apóiam mulheres vítimas de violência.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?