A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Respiradores aprovou, em reunião interna realizada na manhã desta quinta-feira (16), o requerimento para o depoimento do empresário Fábio Guasti, considerado um dos intermediários da venda dos 200 respiradores artificiais à Secretaria de Estado da Saúde (SES), alvo da investigação da comissão criada pela Assembleia Legislativa de Santa Catarina. O pedido para a oitiva partiu do relator da CPI, deputado Ivan Naatz (PL).

Guasti estava preso preventivamente desde junho, dentro da Operação O², e foi solto nesta semana após concessão de habeas corpus pelo presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), João Otávio Noronha. A data do depoimento dele ainda será confirmada, mas deve ocorrer na próxima semana.

A CPI já havia tentado ouvir o empresário, quando ele estava preso, mas Guasti recusou o pedido da comissão. A Operação O², desenvolvida pela força-tarefa do Ministério Público, Tribunal de Contas e Polícia Civil, que também investiga a compra dos respiradores, aponta que o empresário é um dos principais responsáveis pela intermediação entre a Veigamed e a secretaria da Saúde na compra dos respiradores que não foram entregues. O nome dele também foi citado por várias testemunhas ouvidas pelos membros da CPI.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp