A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que vai apurar o caso ocorrido em Santa Catarina de uma menina de 11 anos que teve a gestação interrompida vai ser instalada na Assembleia Legislativa após as eleições deste ano, programadas para outubro.

O anúncio foi feito pelo 1º vice-presidente, deputado Mauricio Eskudlark (PL), durante a sessão ordinária desta terça-feira (26).

O parlamentar informou ainda que o ato deferindo o requerimento de instalação da CPI será lido em plenário durante a sessão desta quarta-feira (27), no período da tarde. Após a leitura, será aberto prazo para que os líderes partidários e de bancada indiquem os membros que vão compor a Comissão.

O requerimento para a abertura da CPI do Aborto é assinado pela deputada Ana Campagnolo (PL) e subscrito por outros 21 deputados.