A CPI que investiga o uso de recursos federais no combate à pandemia definiu o depoimento do governador de Santa Catarina para o dia 7 de julho no Senado. Carlos Moisés da Silva faz parte de uma lista com outros sete chefes de Executivos estaduais chamados para explicarem suas ações de enfrentamento.

O primeiro a depor deve ser o governador do Amazonas, Wilson Lima. Agendado para esta quinta-feira (10). A presença deles, porém, pode não acontecer. Ao todo, 18 governadores entraram com Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) no STF contra a convocação, por considerar inconstitucional. A relatora é a ministra Rosa Weber.

 

 

A Advocacia do Senado informou ao STF que os governadores serão ouvidos como testemunha e não investigados, motivo pelo o qual deveriam ser mantidos os depoimentos.

Pelo calendário já divulgado, além de Lima nesta quinta, os depoimentos seguirão a seguinte ordem: Helder Barbalho (PA), dia 29/6; Wellington Dias (PI), 30/6; Ibaneis Rocha (DF), 1/7; Mauro Carlesse (TO), 2/7; Carlos Moisés (SC), 6/7; Antônio Garcia (RR), 7/7; e Waldez Góes (AP), 8/7.

Fonte: Agência Senado