Neste domingo, 28 de outubro, Jair Messias Bolsonaro angariou 57.797.456 votos (55.13%) e foi eleito o 38º presidente do Brasil, o oitavo depois da democratização.

O peeselista foi galgando eleitores após ser visto como o candidato da mudança. Se entrarem em vigor, as propostas do novo presidente deverão transformar o país em diversas áreas. Confira as principais promessas de Bolsonaro.

Segurança

A principal proposta de Bolsonaro, que virou símbolo em sua campanha, foi a reforma do Estatuto do Desarmamento, afim de garantir o direito ao uso de armas em legítima defesa.

Outra proposta para segurança que o presidente eleito defende é a redução da maioridade penal para 16 anos, sendo também contrário à progressão de penas e às saídas temporárias de presos em datas especiais.

O terceiro item defendido por Bolsonaro, consiste em oferecer aos policiais o benefício do "excludente de ilicitude".

Isso significa que, estando em serviço, eles teriam imunidade em caso de matarem alguém, sem uma investigação por parte da polícia e do Ministério Público, mesmo quando a vítima fosse "terceiros".

Economia

Quando o assunto é economia, a palavra mais utilizada por Bolsonaro é privatização. De acordo com Paulo Guedes, que deve assumir como ministro da Economia, privatizar estatais vai reduzir o pagamento de juros, que custaram R$ 400,8 bilhões em 2017.

No sistema tributário, o plano de governo do peeselista fala em unificar impostos e simplificar o sistema de arrecadação de tributos. O governo do Bolsonaro pretende criar uma alíquota única de 20% no Imposto de Renda, que passaria a incidir sobre quem ganha acima de cinco salários mínimos.

Educação

Bolsonaro já demonstrou que defende a educação a distância desde o ensino fundamental, se tornando alternativa para as áreas rurais, onde as pessoas têm dificuldades em chegar na instituição de ensino.

O ex-capitão do Exército quer diminuir as cotas raciais em universidades e concursos públicos, pois acredita que as vagas devem ser preenchidas por meritocracia.

Na educação básica, do ensino infantil ao médio, o presidente eleito quer mais abordagens sobre matemática, ciências e português, sem doutrinação e sexualização precoce.

Saúde

O presidente eleito pretende adotar o chamado Prontuário Eletrônico Nacional Interligado em postos, ambulatórios e hospitais para reduzir os custos ao facilitar o atendimento futuro por outros médicos em diferentes unidades de saúde.

Ele garante que isso permitirá cobrar maior desempenho dos gestores locais. Bolsonaro também defende o credenciamento universal de médicos e instituição de carreira de Estado para médico.

-

Quer receber as notícias no WhatsApp?