O governador Carlos Moisés da Silva (PSL) será reconduzido ao cargo na próxima semana após o resultado da sessão do Tribunal Especial de julgamento, formado por cinco desembargadores e cinco deputados estaduais, durante esta sexta-feira (7) por videoconferência. Ironicamente, o voto decisivo a favor de Moisés foi do petista Fabiano da Luz.

Dos 10 integrantes do colegiado, quatro votaram pela absolvição do chefe do Executivo, todos parlamentares. Eram necessários 7 votos para o afastamento de Moisés.

 

 

Como foram os votos

Pela cassação – Os desembargadores Sônia Maria Schmidt; Roberto Lucas Pacheco; Luiz Zanelato; Rosane Portela Wolff e Luiz Antônio Fornerolli; e deputado Laércio Schuster (PSB).

Pela absolvição - Os deputado Marcos Vieira (PSDB); José Milton Scheffer (PP), Valdir Cobalchini (MDB) e Fabiano da Luz (PT).

 

A acusação

Carlos Moisés é denunciado por crime de responsabilidade na compra de 200 respiradores artificiais, pagos a vista, por R$ 33 milhões, sem que os equipamentos tivessem chegado ao estado e o dinheiro fosse recuperado.