Dos oito vereadores de Joinville que concorreram a deputado estadual ou federal nas eleições do começo do mês, apenas dois foram eleitos. Fernando Krelling (MDB) e Rodrigo Coelho (PSB) devem renunciar a função de vereador em dezembro para então assumirem os novos postos: deputado estadual e federal, respectivamente.

Com a saída dos deputados eleitos, duas vagas ficam disponíveis de forma efetiva na CVJ. Iracema do Retalho (PSB) deve ser nomeada vereadora e ocupar a cadeira de Coelho. Já a vaga do MDB passa a ser de Mauricinho Soares. Hoje, Mauricinho é suplente de vereador e ocupa a vaga de Roque Mattei, que foi nomeado secretário Municipal de Educação. Se Mattei continuar na pasta, Henrique Deckmann assume como suplente.

Mas antes de deixar o cargo Coelho e Krelling devem participar de uma eleição bastante importante na Câmara. Na última sessão legislativa de 2018, agendada para 12 de dezembro, eles votam e ajudam a escolher a nova mesa diretora da Casa. Com status de deputado eleito, o nome que eles apoiarem tem grande chance de se tornar presidente da CVJ.

Nos corredores da Câmara alguns nomes começam a ganhar força na campanha para a presidência da Casa. Os mais cotados são: Claudio Aragão (MDB) e Maurício Peixer (PR). Os dois já colocaram seus nomes à disposição. Outros que também tem sido citados para ser presidente da Casa são os vereadores Adilson Girardi (SD), Fábio Dalonso (PSD) e Jaime Evaristo (PSC).

“Ainda está muito indefinida esta questão. Alguns vereadores indicaram que podem concorrer à presidência da Câmara. Penso que neste momento o mais cotado é o Aragão, porque hoje é líder do governo. Mas até dezembro pode haver novos fatos”, comenta Fernando Krelling, que atualmente é presidente da CVJ.

Já Rodrigo Coelho evita falar em favoritos. Esta questão ainda está em aberto.

"Vamos sentar com a bancada do PSB e entrar em um consenso de quem iremos apoiar. Neste momento estou mais focado em aprovar meus projetos neste fim de ano” declarou Coelho.

Roque Mattei pode ser a indicação do prefeito

Nos bastidores do MDB há quem aposte que o novo presidente da Câmara de Vereadores de Joinville será Roque Mattei. Ele seria o candidato do prefeito Udo Döhler que, ao tirar Mattei da Secretaria Municipal de Educação, e elegê-lo presidente da CVJ, começaria a trabalhar o nome de Mattei como seu sucessor na Prefeitura em 2021.

O que dizem os indicados

 

Adilson Girardi (SD)

"Ainda faltam quase dois meses para a eleição. Coloquei meu nome à disposição por indicação partidária e motivado pelo apoio de alguns colegas vereadores".

Claudio Aragão (MDB)

“Meu nome está à disposição. Como líder da bancada governista nos últimos quatro anos, acho que consegui junto aos colegas dar uma ampla vantagem a base do governo e ter um bom relacionamento com todos os vereadores. Agora é mostrar a eles que quero ser presidente e conquistar o voto da maioria”.

Maurício Peixer (PR)

“Neste momento, estamos aguardando o término da eleição para presidente e governador. Depois vamos tratar das eleições da Câmara. Estou em meu sexto mandato e nunca ocupei a presidência. Tenho este desejo e ser for de consenso da base do governo estou à disposição”.

Jaime Evaristo (PSC)

*Nesta segunda-feira (22) tentamos contato com o vereador mas ele não foi encontrado para falar sobre o caso.

Fábio Dalonso (PSD)

“Eu não tenho manifestado interesse em ocupar a presidência. Neste momento esta não é uma pauta prioritária para mim. Eu já presidi a CVJ entre 2006 e 2008. O que tem acontecido é que nos últimos dias tenho recebido bastante pedidos de colegas vereadores para colocar meu nome à disposição”.

Roque Mattei (MDB)

“Neste momento estou como secretário da Educação. A pergunta se voltarei a CVJ e disputarei a presidência já foi feita algumas vezes para mim. Estou avaliando, consultando o partido e prefeito. Dialogando para ver qual é o melhor caminho, o melhor cenário. Neste momento ainda não temos nada definido”.

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?