Nesta sexta-feira (15), cinco pessoas morreram em uma manifestação em apoio ao ex-presidente boliviano Evo Morales após confrontos com policiais e militares.

As mortes aconteceram em Sacaba e Cochabamba, no centro do país.

As autoridades não mencionaram nenhuma morte, mas uma centena de detidos. A imprensa relatou, por sua vez, pelo menos oito feridos.

A Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) condenou em comunicado o "uso desproporcional da força policial e militar", confirmando os cinco mortos e apontando que havia um número indeterminado de feridos.

A CIDH acrescentou que "as armas de fogo devem ser excluídas dos dispositivos utilizados para controlar os protestos sociais".

No Twitter, o ex-presidente Evo Morales, que está asilado no México, pediu "às Forças Armadas e à polícia que pare o massacre".

Com as mortes, já são pelo menos 15 mortos nos protestos que começaram após a vitória de Morales nas eleições de 20 de outubro, que renunciou no último domingo depois de ameaças dos militares bolivianos.

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger