CI da Afasc: Coordenador do Controle Interno é ouvido
CI da Afasc: Coordenador do Controle Interno é ouvido

O Coordenador do Controle Interno da Afasc, Juarez Medeiros, foi ouvido pelos parlamentares que compõem a Comissão de Inquérito (CI) que apura a gestão financeira, no período de janeiro de 2013 a dezembro de 2019 da Associação, na tarde desta segunda-feira.

Medeiros está há um mês no cargo e afirmou estar implantando medidas de controle antes não existentes.

Não havia um recebimento formal de mercadorias, nada era comunicado ao setor de compras. Não existia também o setor de licitação, as compras normalmente eram feitas com três orçamentos”, afirmou.

Ainda conforme o coordenador, após a investigação de desvio de carne da Associação, algumas medidas foram tomadas.

“Uma normativa foi criada que determina que todo recebimento de mercadoria, ou transferência de uma creche para outra, precisa ser autorizado pelo setor de compras e transportado por motoristas e veículos da Afasc”, pontuou.

“Hoje a certeza é de que a Afasc já tem um controle, já tem uma organização. Agora foram solicitadas mais duas pessoas para oitivas que deverão ser chamadas nas primeiras sessões, após o recesso”, comentou o presidente da CI, vereador Arleu da Silveira (PSDB).

Novos encaminhamentos

No encontro, os vereadores encaminharam ainda mais duas oitivas para 2020.

O responsável pelo setor de compras e pagamentos da Afasc, e a ex-coordenadora da Associação, Letícia Vieira, serão ouvidos pela CI.

As proposições foram dos vereadores Aldinei Potelecki (PRB) e Edson Luiz do Nascimento (PP), respectivamente.

Foi solicitado envio de expediente à Afasc questionando os valores de ações trabalhistas pagas de 2013 a 2016 e de 2017 a 2019, pelo vereador Arleu da Silveira (PSDB).

Retorno

A CI voltará a se reunir em 2020.

A primeira reunião ocorrerá dia 10 de fevereiro, às 14h, com transmissão ao vivo na página do Facebook do Legislativo.

Composição

Compõem a Comissão os vereadores: Arleu da Silveira (PSDB), Julio Colombo (PSB), Camila Nascimento (PSD), Pastor Jair Alexandre (PSD), Antonio Manoel (MDB), Aldinei Potelecki (Republicanos), e Edson Luiz do Nascimento (PP).

A CI tem prazo de 90 dias, prorrogáveis por igual período, conforme o artigo 70, inciso I e artigo 72, do Regimento Interno do Legislativo.