Nesta quinta-feira (28/03), a reunião da CPE dos Apagões aguardava pelo presidente da Celesc, o engenheiro Cleicio Poleto Martins, ou por algum representante da Companhia de Distribuição de Energia Elétrica de Florianópolis. Porém, nem o presidente e nenhum outro funcionário compareceram ao Legislativo para esclarecer os problemas de fornecimento de luz em Florianópolis.

No fim da manhã, o presidente da Comissão, o vereador Gabriel Meurer (PSB) recebeu uma ligação do órgão falando que eles não teriam como comparecer. “Considero uma total descaso e desrespeito com a população de Florianópolis. Uma empresa do porte da Celesc não ter um representante para mandar, é querer fugir dos esclarecimentos que devem aos consumidores,” afirma Gabrielzinho.

Os membros da Comissão Parlamentar Especial decidiram em reunião, encaminhar um requerimento para deliberação em Plenário da Câmara, onde solicita a convocação imediata da Celesc para o próximo dia 11/04, às 14 horas. A intenção é que seja votado já na semana que vem.

Para o relator, vereador Jeferson Backer (PSDB) essa situação de hoje demonstra o desinteresse em apurar as constantes quedas de energia na Capital, além dos problemas relatados por moradores de cobranças abusivas. “Tivemos aqui hoje uma ingrata surpresa por conta da empresa. Isso só nós demonstra o que a população vem reclamando ao longo desses meses. Foram registrados 640 denúncias só Procon Municipal.”

Entenda o que é a CPE

Nos meses de dezembro, janeiro e fevereiro a população de Florianópolis foi surpreendida ao receber as faturas de luz da Celesc com valores acima do que habitualmente eram cobrados. A empresa afirma que o aumento é normal em virtude da estação mais quente do ano tornar o uso de aparelhos ar-condicionados frequente.

O Procon identificou casos de aumentos significativos em residências que sequer possuem ar-condicionado ou piscina, algumas das justificativas apresentadas pela Celesc para o aumento na conta da luz. No último dia (14/03), a comissão recebeu os representantes dos Procons Estadual e Municipal.

Apenas em Florianópolis, o número foi de quase 700 denúncias registradas por moradores, quando somadas as recebidas pela Comissão Parlamentar Especial. Já no Procon Estadual foram registrados 5.274 reclamações em todo o estado.

A CPE é um mecanismo para estudar assuntos de interesse do município. É composta por cinco membros e definida pela proporcionalidade partidária, assim como as outras comissões da Câmara. Integram também a CPE dos Apagões os vereadores, Dalmo Meneses (PSD), Pedrão (PP) e Tiago Silva (MDB).

 

Quer receber as notícias no WhatsApp?