A Celesc analisa a ampliação da rede de energia elétrica em áreas que estão em processo de regularização fundiária em Jaraguá do Sul.

A análise acontece após o encaminhamento de moção encaminhada à empresa, pelo vereador jaraguaense Luís Fernando Almeida (MDB), para que fosse acompanhada a situação das famílias pela primeira vez após anos de descaso.

Foi solicitado ao governo estadual e a Celesc a ampliação da rede de energia elétrica aos moradores que residem em loteamentos em processo de regularização fundiária.

Na manhã desta quarta-feira (14), o parlamentar esteve com o gerente da Celesc Danilson Wolff e com o Diretor de Habitação Vanderlei Balsanelli, no loteamento Jaime Mann, no bairro Ilha da Figueira, com o objetivo de buscar melhorias aos moradores.

Segundo Almeida, esta é a primeira vez que algum agente do órgão foi pessoalmente analisar a situação das famílias que moram nestas localidades.

“Graças a moção de apelo protocolada à Celesc em março e aprovado na Câmara, eles tomaram conhecimento dos ofícios encaminhados no ano de 2018 ”, relembra o vereador.

Negociações com o poder público

A Prefeitura, por meio do setor de Regularização Fundiária, diversas vezes oficializou um pedido à Celesc para que providencie a ampliação de rede de energia elétrica a essas famílias.

Por Lei Federal e Municipal essas pessoas possuem o direito de terem acesso a energia elétrica.

Em sua avaliação, a irregularidade de um loteamento não impede a oferta de energia, por se tratar de um serviço essencial que, caso, inexistente, viola o princípio da dignidade da pessoa humana.

Porém, segundo ele, não foi demonstrado qualquer impossibilidade técnica pela empresa responsável para execução dos serviços nesses núcleos urbanos e rurais consolidados que já se encontram em processo de regularização cadastrados na Prefeitura de Jaraguá do Sul.

“Com o conhecimento por parte da Celesc, continuo acompanhando de perto essas solicitações e esperamos que dentro de alguns dias apresentem algum retorno das nossas reivindicações”, conclui o parlamentar.

O vereador ainda destacou que irá recorrer judicialmente caso não seja dada devida atenção ao tema.

*Com informações de assessoria de imprensa.