A nova secretária de Saúde, Carmen Zanotto , teve nesta quinta-feira (1) o seu primeiro contato presencial com a governadora Daniela Reinehr (sem partido). As duas foram ao depósito da Vigilância Epidemiológica (Dive), em São José, na Grande Florianópolis, onde falaram com a imprensa sobre as primeiras ações deste momento de enfrentamento à pandemia, agora sob nova administração.

Zanotto foi clara em sua fala: 1) foco nas medidas preventivas, com ampla divulgação para as boas práticas como uso de máscaras, distanciamento social e higiene nas mãos; 2) não quer ver doses de vacinas paradas, quer agilidade na distribuição; 3) vai seguir na luta para ativar o mais rapidamente novos leitos de UTIs.

Na prática, o discurso de Carmen Zanotto não difere muito do seu antecessor, André Motta Ribeiro. Tanto que ela mesma fez questão de esclarecer: “Não há terra arrasada na secretaria, o que estava sendo feito de bom, será dado continuidade”.

A nova secretária sabe do que fala porque conhece bem a pasta. Servidora de carreira, lembrou que o prédio da Dive foi construído quando ela estava atuando na Secretaria da Saúde. Mesmo em Brasília, mantinha contato permanente com os servidores da pasta e agora, ao receber o terceiro convite para assumir o posto, disse que não poderia negar. “Não poderia deixar de cumprir essa missão como profissional de saúde”.

Ao lado de Daniela, Carmen Zanotto agora terá outro desafio que é o de definir medidas restritivas para os próximos dias, já que o decreto do governo perde efeito nesta segunda-feira (5). Neste sábado (3), ela se reúne com o Centro de Operações de Emergência em Saúde (COES), de onde sairão as novas regras.

Mas uma delas já está bem clara e partiu da governadora: “A ideia é não proibir. Restringir, sim. Proibir, não”, disse Daniela Reinehr, numa determinação direta de que não haverá lockdown em SC.