O Sindicato dos Médicos da Região Sul Catarinense (Simersul) recebeu durante esta terça-feira e quarta-feira os candidatos à Prefeitura de Criciúma para a entrega dos pleitos da classe médica para o mandato 2021-2024.

Na terça-feira, 10, os encontros foram realizados com a presença de Anibal Dário (MDB); Ricardo Fabris (PSD), Rodrigo Minotto (PDT) e Francisco Carlos Balthazar (PT). Já na noite de quarta-feira, 11, os pleitos foram entregues aos convidados Julia Zanatta (PL) e Cosme Manique Barreto (Podemos). O candidato Ederson da Silva (PSTU), também foi convidado a participar, porém justificou a ausência em razão de outros compromissos.

O presidente do Simersul, Licínio Argeu Alcântara, apresentou a cada candidato o documento com as demandas da categoria que envolveu prioridades nas áreas de infraestrutura de atendimento, gestão pública e melhores condições de trabalho.

Elaboração do documento

“As prioridades elencadas no documento foram colhidas junto aos profissionais da área e compiladas. São demandas que entendemos serem primordiais à melhoria das condições de trabalho da classe médica e do atendimento da saúde pública do Município de Criciúma. Os encontros foram muito positivos e esperamos que o candidato, que vier a ser eleito, dê a atenção devida aos pleitos”, destaca Alcântara.

“Assumi o compromisso com a saúde quando me formei em Medicina. Recebemos as demandas do Simersul e vamos dar toda a atenção para cumpri-las”, frisa Anibal Dário.

“O gestor tem que saber ouvir e o diálogo tem que ser permanente na construção de uma sociedade mais justa e nada melhor que conversarmos com quem tem conhecimento da área afim”, salienta Rodrigo Minotto.

“Queremos manter a parceria com o sindicato e continuar avançando no que já estamos realizando. Todas as prioridades serão levadas ao Clésio, que infelizmente não pode estar presente”, destaca o candidato a vice-prefeito, Ricardo Fabris.

“Recebo as demandas da categoria médica com muita boa vontade e carinho. Algumas delas, inclusive, já estão incorporadas no nosso plano de governo, e outras que estamos tomando conhecimento neste momento. Se formos eleitos, queremos manter uma sintonia fina com a categoria médica”, coloca Francisco Carlos Balthazar.

“Vamos reorganizar a saúde, trazendo para o debate os atores e os técnicos desta área para avaliar qual o caminho. O prefeito precisa pensar a cidade a longo prazo, como a saúde estará nos próximos anos”, observa Cosme Manique Barreto.

“A saúde pública de Criciúma será a “menina dos olhos” da nossa gestão, com certeza. Vamos fortalecer a atenção primária, com capacitação e valorização dos profissionais, serão muitas ações e projetos focados na melhoria da saúde da nossa cidade”, afirma Alisson Pires, candidato a vice-prefeito ao lado de Julia Zanatta.

PRIORIDADES DA SAÚDE

Infraestrutura de atendimento

- Melhoramento da infraestrutura das unidades de saúde e aparelhamento das mesmas, com novos e melhores computadores, impressoras, softwares, etc;

Gestão pública

- Realização de concurso público de ampla concorrência, com salários compatíveis (no mínimo piso), para que sejam supridos os postos de trabalho dentro da estrutura do Munícipio em número suficientemente necessário quanto à demanda;

- Com número de profissionais adequados, gerir melhor o fluxo entre as unidades de saúde da atenção básica e as da especializada, realizando matriciamento e capacitação constante das equipes, para otimizar o fluxo referência-contrarreferência;

- Reduzir a terceirização por parte das Organizações Sociais (OS), especialmente no que diz respeito ao trabalho médico e não permitir mais a famigerada quarteirização;

- Realização dos contratos médicos mediante CLT e não por “Pejotização”;

- Ampliação e maior abertura da cobertura pelo sistema CISAMREC, especialmente no que tange à procedimentos;

- Fortalecimento do intercâmbio entre os postos de saúde e da equipe clínica das unidades de saúde com as entidades privadas com referência e contrarreferência;

- Foco na assistência primária, com parcerias, junto aos serviços privados, para a assistência secundária e terciária.

Condições de trabalho

- Adequação salarial competente que agregue perdas salariais passadas e recentes, bem como possa suprir a falta de ganho real considerável;

- Equiparação salarial entre os profissionais que exercem a mesma função: correção das distorções entre médicos admitidos em concursos anteriores e o vigente;

- Ampliação e melhoria na legislação que rege o Plano de Carreira Médica Municipal. Que o mesmo contemple não somente tempo de serviço, mas melhore as considerações relativas aos diferentes níveis de aperfeiçoamento e atualização profissionais, bem como considere ganho por produtividade aumentada e por produtividade diferenciada;

- Flexibilização do horário de atendimento e abertura de banco de horas que permitam aos funcionários atender melhor e ter mais liberdade quanto a seus horários ;

- Cronograma com quantidade fixa de horas semanais ou mensais como atualização, capacitação;

- Regulamentação definitiva de permissão para participação nos programas do Ministério da Saúde como: Outubro Rosa, Campanhas de vacinação, Programa de tabagismo, entre outros;

- Pagamento dos direitos adquiridos previstos no estatuto do servidor público, bloqueados pelo decreto presidencial;

- Liberação para Mestrado e Doutorado, sem reposição de carga horária, conforme o Estatuto dos Servidores, bem como regulamentação definitiva da liberação para realização de cursos de aperfeiçoamento (dentro da área de atuação), sem ônus de reposição horária, respeitando limite de horas semanais a ser negociado.

 

 

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp