Foi aprovado por unanimidade na Câmara de Vereadores o Projeto de Lei de que põe fim ao recesso de julho. Após ser rejeitado duas vezes na legislatura atual, os vereadores acabaram com a paralisação, que interrompia as sessões ordinárias durante período de 15 dias. Jaraguá do Sul foi o último município da região a acabar com o benefício. De acordo com o vereador Jeferson de Oliveira (PSD), um dos autores da matéria, mas que votou contra o projeto em 2014, a pressão popular após a rejeição da mudança foi grande. “Fomos muitos cobrados pela população, a folga no fim de ano é suficiente”, disse. O vereador Pedro Garcia (PMDB) também já votou contra o fim das férias de julho quando a proposta foi apresentada em 2013. “Quando veio na primeira oportunidade, achei que não estava bem completo. Acho que nenhum vereador para, nem mesmo em janeiro, então sou favorável”, comentou na tribuna. O projeto precisava ter pelo menos oito votos por ser uma alteração na lei orgânica. A legislação municipal estabeleceria sessões anuais de 1º de fevereiro a 16 de julho e de 1º de agosto a 22 de dezembro. Corupá foi a primeira a acabar com o recesso, com votação em setembro de 2013, seguida pelos municípios de Schroeder, Massaranduba e Guaramirim, que passaram a manter as sessões da Câmara continuamente.