O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou que deve estar em Chapecó na manhã desta quarta-feira (7) para ver de perto o trabalho realizado pelo município no combate à Covid-19. Do colapso no sistema de Saúde ao sucesso no tratamento de doentes, a maior cidade do Oeste de Santa Catarina virou exemplo a ser seguido, de acordo com o chefe do Executivo nacional.

“Estarei em Chapecó com o prefeito João Rodrigues (PSD), onde fez um trabalho excepcional no tocante a recursos dados pelo estado no atendimento, na ponta da linha, de quem precisava do tratamento. Uma obra fantástica. Um exemplo a ser seguido, por isso estou indo para lá. Para não só ver, mas mostrar para todo o Brasil que o vírus é grave, mas seus efeitos têm como ser combatidos”, disse Bolsonaro.

 

 

No auge da crise, sem leitos para receber doentes, o prefeito João Rodrigues anunciou a criação do Centro Avançado no prédio do Centro de Eventos da cidade.

“O que fizemos aqui foi inédito. Montamos um hospital em tempo recorde. Agora vamos fechar as enfermarias mas manter tudo como está. Se precisar novamente é só ligar a luz e apertar um botão. Se o Estado ou o Brasil precisarem nós cedemos a estrutura ”, disse João Rodrigues.

Ao anunciar a ida a Chapecó, o presidente da República aproveitou para destacar mais uma vez o polêmico "tratamento precoce" no combate ao coronavírus. Rodrigues tem investido no uso de medicamentos sem comprovação científica de eficácia de remédios, como cloroquina, ivermectina e Annita, contra o vírus.

“Naquele município o médico tem liberdade total para trabalhar com o paciente. Total. E esse é um dever do médico. Uma obrigação e um direito dele. Por isso, os índices foram lá para baixo”, completou.

A declaração foi dada durante cerimônia de entrega de chaves de imóveis populares do programa Casa Verde e Amarela em São Sebastião, no Distrito Federal.