Em entrevista ao Valor Econômico, o empresário Luciano Hang, dono da rede de lojas Havan, chamou o programa Auxílio Brasil de "bolsa miséria", ao mesmo tempo em que defendeu o aumento do benefício de R$ 400 para R$ 600.

O empresário afirma que a ampliação do alcance e dos valores do benefício é algo “momentâneo”.

“Os mais pobres não têm que viver a vida toda de bolsa miséria”, disse o empresário em entrevista ao Valor concedida na sede administrativa de sua companhia, em Brusque (SC). “Eles têm de ter a oportunidade de trabalhar e ganhar sustento”, completou.

Na noite de terça-feira (13), durante um evento de campanha em Blumenau (SC), Hang criticou indiretamente os programas de transferência de renda ao discursar para uma plateia de apoiadores e cabos eleitorais do candidato a senador Jorge Seif (PL).

“Temos que colocar na cabeça das pessoas que ganhar alguma coisa de graça não leva a nada”, afirmou, mas sem mencionar as marcas Auxílio Brasil ou Bolsa Família.

“A esquerda, a Dilma [Rousseff, ex-presidente] ficava feliz porque aumentou o número de dependentes do Bolsa Família [antecessor do Auxílio Brasil]. Eu acho que o governo tem que ficar feliz em arranjar oportunidade para todo mundo para reduzir a quantidade de pobres ganhando o Bolsa”, afirmou.