As prefeituras do Vale do Itapocu estão terminando o primeiro mês do ano com transferências constitucionais mais tímidas. Até ontem, a região somava R$ 26,1 milhões de arrecadação, 7,8% a menos em relação aos R$ 28,3 milhões acumulados no mesmo período do ano passado. A queda é registrada em todos os municípios. Com o segundo pior resultado na microrregião – atrás apenas de Schroeder, que teve queda de 12,6% –, Corupá foi o primeiro município a tomar medidas administrativas neste ano para equilibrar as contas. São menos 11% no caixa de janeiro, o que levou o prefeito Luiz Carlos Tamanini a anunciar a exoneração de quatro secretários municipais. Junto com a rescisão no contrato de 84 profissionais admitidos em caráter temporário (ACTs) no fim do ano passado, a expectativa é economizar R$ 80 mil mensais. “Estamos com 457 funcionários e vamos reduzir para 400, com certeza. Isso me dará um fôlego para fazer a recomposição salarial dos que ficarem. Não dá para esperar para amanhã. Ou me enquadro ao que diz a Lei de Responsabilidade Fiscal, e aos recursos disponíveis, ou vou ser engolido”, comentou o prefeito. O secretário de Administração e Fazenda, Joney Morozini, deixa a pasta e reassume cadeira de vereador na Câmara. A pasta da Infraestrutura sai das mãos de Alceu Moretti e passa para o diretor Lourenço Piaotquewicz, funcionário concursado. O secretário de Assistência Social, Trabalho e Habitação, Felipe Rodrigues, sai do cargo e a função passa a ser acumulada pela secretária da Saúde, Bernadete Hilbrecht. O mesmo acontece com Indústria, Comércio, Turismo, Esporte e Lazer: Wilson Gessner é exonerado e a função é assumida pela secretária de Educação e Cultura, Maria Celi Costa. Mesmo depois de uma temporada que incluiu a diminuição no quadro de funcionários comissionados, corte de investimentos e outras ações de economia, Jaraguá do Sul também precisará reavaliar as finanças. Algumas readequações previstas, como projeto para redução no vale alimentação e de diminuição nos descontos do IPTU, foram rejeitadas pela Câmara de Vereadores. “Estamos esperando para analisar o comportamento financeiro neste começo de ano. Temos na manga a opção de corte de funções gratificadas. E é lógico que estamos melhorando a arrecadação, com ações como implantação da Nova Fiscal Eletrônica”, disse o prefeito Dieter Janssen. O tema também será discutido na primeira semana de trabalho em Guaramirim. As projeções, segundo o prefeito Lauro Fröhlich, são negativas. “Os indicadores estão mostrando uma queda ainda maior que ano passado. Aumenta o desemprego, diminui a movimentação financeira e a consequência é diminuir a arrecadação. É um ano de ainda mais cautela”, pontua. Arrecadação na Amvali 1º a 22 de janeiro: 2015: R$ 28.335.396,26 2016: R$ 26.115.610,67 Queda de 7,8% Schroeder 2015 1.518.897,98 2016 1.326.230,35 Queda de 12,6% Corupá 2015 1.357.401,02 2016 1.208.027,36 Queda de 11,0% Jaraguá do Sul 2015 16.655.638,25 2016 15.250.780,66 Queda de 8,4% Massaranduba 2015 1.567.705,95 2016 1.467.664,27 Queda de 6,3% Guaramirim 2015 4.563.709,94 2016 4.517.564,72 Queda de 1,0% Fonte: Fecam