Na sessão ordinária desta quinta-feira (1°) na Câmara de Vereadores, Arlindo Rincos afirmou que recebeu da Prefeitura os documentos relativos ao seu pedido de informação sobre a empresa terceirizada que presta serviços de limpeza urbana. A empresa presta serviços de raspagem de sarjeta, pintura de meio fio, coleta de resíduos, capina manual e limpeza de caixas coletoras.

Segundo Rincos, o contrato com a prestadora de serviço custa ao Executivo R$ 2,251 milhões por ano, para manter 30 funcionários. Num cálculo rápido, Rincos afirma que cada funcionário desta empresa custa ao município R$ 75 mil por ano.

Todavia, o orçamento da Secretaria de Obras e Serviços, aprovado na LOA 2018, prevê quase R$ 13 milhões para pessoal e encargos, o que, nos cálculos do vereador, daria menos de R$ 65 mil por funcionário. O cálculo foi feito com base em 200 funcionários que trabalham na pasta, mas Rincos afirma que há mais do que isso na Secretaria.

Com isso, o parlamentar rebate os argumentos que dizem que a terceirização custa menos para à Administração Municipal, o que para ele é uma falácia. Rincos advertiu que é preciso valorizar os servidores e que é preciso discutir melhor as questões relativas à terceirização dos serviços públicos, a fim de evitar sua precarização.