O prefeito de Corupá, João Carlos Gottardi (PP), lamentou esta semana a rejeição pela Câmara de Vereadores  do município do projeto de lei para adequação Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e da Lei Orçamentária Anual (LOA), que autorizaria a administração municipal a colocar em prática o Programa de Sistema Viário e a Ampliação e Revitalização de Vias Públicas por meio de crédito adicional especial no valor de R$ 5 milhões. O valor seria repassado por meio de financiamento do Badesc. De acordo com nota emitida pela Prefeitura, o projeto foi esboçado pelo setor de planejamento e tem a parceria da Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali) para revitalização do Centro de Corupá, com a previsão de melhorias de calçadas, estacionamento, implantação de ciclofaixas e faixas elevadas e a pavimentação de mais de dez ruas em diversos pontos do município. Segundo Gottardi, o projeto de pavimentação destas ruas, assim como a organização e embelezamento do centro da cidade, deixarão de ocorrer neste momento por conta da não aprovação da adequação LOA e LDO na Câmara para que o município pudesse contrair um financiamento para tal projeto. “Quando o município apresentou sua capacidade de endividamento, tivemos a resposta positiva para que pudéssemos fazer esse empréstimo do Badesc. Mas como não obtivemos a aprovação local dos vereadores, teremos de continuar buscando recursos em outras frentes para colocar em prática este projeto que traria benefícios significativos para o município com a revitalização de ruas centrais e pavimentação de outras ruas em bairros”, comenta. O prefeito destaca ainda que, independentemente do partido dos vereadores da Câmara de Corupá, espera que eles também solicitem recursos por meio de emendas parlamentares junto de seus deputados para que o projeto de revitalização do centro e pavimentação de ruas em Corupá não fique parado. “A revitalização, principalmente do centro do município, estava em nosso plano de governo e sabemos que a população confiou que este projeto pudesse ser realizado em Corupá, ainda mais num momento em que estamos trabalhando com os planos municipal e regional de turismo e que pretendemos deixar a cidade mais bonita para seus moradores e visitantes”, finalizou. A oposição alegou o suposto momento de crise para rejeitar o projeto. *Com informações da assessoria da Prefeitura de Corupá