A Autarquia Águas de Guaramirim recebeu na semana passada o resultado dos exames da água contaminada no rio Itapocuzinho, no município. No dia 15 de agosto, a Autarquia detectou um nível alto de ferro na água durante as análises realizadas de hora em hora, o que levou a Estação de Tratamento de Água (ETA) a paralisar a captação e o abastecimento no município naquele dia.

O diretor de recursos hídricos da Autarquia Águas de Guaramirim Matias Tomczak, afirma que três pontos específicos foram monitorados, onde foi coletada água para que a causa do problema pudesse ser descoberta.

Segundo Tomczak, o nível de ferro encontrado durante a análise foi baixo, estando dentro das normas de saúde.

"Até a gente se deslocar nos locais e coletar a água, o nível de ferro já havia diminuído. A gente conseguiria tratar esse produto sem afetar a captação e a filtragem da água", destaca.

Tomczak relata que após a análise ficar pronta, os exames foram encaminhados para a Fundação do Meio Ambiente de Guaramirim, que vai fiscalizar as empresas que trabalham com os produtos encontrados na água.

Fiscalização

O responsável pela Fundação Jiuvani Assis Assing, destaca que ainda não é possível garantir qual é a empresa que soltou o contaminante no rio, pois não tem nenhuma prova concreta. "Nós temos uma ideia de quem pode ser, de qual tubulação veio, mas naquele meio tem diversas empresas", destaca.

De acordo com Assing, a fiscalização também deve envolver os órgãos ambientes de Jaraguá do Sul e Schroeder. Ele também vai avaliar se órgãos estaduais têm funcionários para poder ajudar na solução do problema.

"Vamos fiscalizar as empresas que trabalham com esses produtos para ver como estão armazenando e tratando, além dos procedimentos de descarte", explica.

 

Conscientização

De acordo com o diretor de recursos hídricos da Autarquia Águas de Guaramirim Matias Tomczak, é preciso trabalhar com a conscientização das empresas. Tomczak afirma que algumas empresas acabam liberando produtos químicos na água e causam a contaminação da fauna e da saúde da população.

Mesmo assim, o diretor garante que a água contaminada chega em menor quantidade no reservatório. Ele explica que a água passa por um processo cuidados de observação e tratamento.

"Nós precisamos aumentar a quantidade de produtos de cloro, hipoclorito e alumínio para baixar esse produto e a água passar no filtro. A sujeira pesada fica e só a água limpa passa", diz.

O rio Itapocuzinho é responsável por abastecer os 12 bairros de Guaramirim e aproximadamente 5 mil unidades consumidoras.

 

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger